Siga-nos

Urbanismo

Vereadores discutem medidas para reduzir ruídos em bairros vizinhos ao Aeroporto

Publicado

em

Moradores ao redor do aeroporto querem janelas antirruído

Moradores reivindicam instalação de janelas antirruído em todos os imóveis

“Foi fantástico. Mas, precisaria ser verdade para ser realmente bom”. A frase é de Edwaldo Sarmento, da Associação de Moradores do Entorno do Aeroporto. Ele e outros integrantes da entidade participaram esta semana de uma audiência pública promovida pela Câmara de vereadores de São Paulo para discutir a poluição sonora ao redor de Congonhas. Participaram do encontro representantes da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), das empresas aéreas e da Secretaria do Verde.

O vereador Paulo Frange (PTB), presidente da comissão de Política Urbana, avalia que a Prefeitura não tem atuado na questão aeroportuária como deveria. Ele também lamentou que a Infraero não esteja cumprindo exigências da Secretaria do Verde no sentido de realizar testes de ruídos para regulamentar a situação de Congonhas.

“Congonhas é hoje um problema, mas pode vir a ser um grande exemplo”, afirmou Rogério Benevides, do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias. Ele comparou que, em outros países, a comunidade local e Prefeitura conduzem processos neste sentido. Por isso, considera que o controle de ruído deva ser permanente na região.

Congonhas na década de 40: entorno deserto

Alexandre Filizola, da Anac, diz que a Prefeitura tem papel chave na questão. Ponderou ainda que a criação de rotas alternativas para as aeronaves pode minimizar o problema. Mas admitiu que não há possibilidade de reduzir o horário de funcionamento de Congonhas porque os demais aeroportos do estado não têm atualmente condições de absorver o movimento.

Diz ainda que algumas medidas já foram tomadas, como a proibição do tráfego de determinados modelos de aeronaves e a adoção de técnicas específicas de pouso e decolagem que produzem menos barulho.

Marcos Juliano, engenheiro especializado em ruídos explicou que a construção de barreiras acústicas não é viável e tampouco seria eficiente. Por outro lado, admite que a instalação de janelas antirruído pode solucionar boa parte do problema.

Edwaldo Sarmento, da Associação de Moradores da região, sugeriu durante a audiência que os usuários do aeroporto pagassem uma taxa destinada a bancar a instalação destas janelas, até que todas as residências da região estejam protegidas.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados