Jornal São Paulo Zona Sul
Unifesp promove nova sessão de Comissão da Verdade com depoimentos sobre período da ditadura militar

Unifesp promove nova sessão de Comissão da Verdade com depoimentos sobre período da ditadura militar

No dia 13 de março, quinta-feira, a Comissão da Verdade Marcos Lindenberg (CVML), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), realiza sua quinta sessão pública de depoimentos – desta vez com o tema “Formar-se Médico em 1972” – que contribuirá para o trabalho de investigação das ações da ditadura militar contra professores, alunos e funcionários da Escola Paulista de Medicina (EPM), unidade universitária que hoje integra a estrutura da Unifesp.
Os três convidados – Clóvis Eduardo Tadeu Gomes, Nestor Schor e Sérgio Tufik – são hoje professores da Escola e tiveram forte participação nos movimentos de resistência à ditadura, além de terem se formado em um ano emblemático para a EPM, com prisões de alunos. Seus depoimentos permitirão refletir sobre diferentes formas de resistência e atuação política entre o final dos anos 60 e os anos 70.
Foram ouvidos na sessão anterior o deputado federal e ex-aluno da EPM, Walter Feldman, o ex-aluno e médico da Unifesp, Nacime Salomão Mansur, e o também professor da Unifesp, Miguel Roberto Jorge.
O professor Marcos Lindenberg, que nomeia a Comissão da Verdade da Unifesp, foi um dos mais marcantes diretores da EPM e o principal responsável pelo processo de federalização da Escola, que deu origem à Unifesp. Ele foi exonerado compulsoriamente pelo governo militar, em 1964, por ser considerado subversivo.
A Quinta sessão de depoimentos da Comissão da Verdade Marcos Lindenberg: “Formar-se médico em 1972” acontece dia 13 de março, próxima quinta-feira, às 10h, no Anfiteatro Leitão da Cunha. Endereço: Rua Botucatu, 720 – Vila Clementino.
Todos as sessões de depoimentos da CVML são gravadas e transmitidas através da Intranet da Universidade.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!