Jornal São Paulo Zona Sul

Unifesp celebra 25 anos em meio a debates sobre corte de recursos

Há 25 anos, a já renomada Escola Paulista de Medicina (EPM), que existe desde a década de 1930 na Vila Clementino, transformava-se em Universidade Federal Paulista – a Unifesp. Foi com a lei 8.957, em 1994, que a EPM começou seu processo de expansão.

Agora, para celebrar, a Universidade que mantém o Hospital São Paulo, um dos maiores e mais importantes hospitais universitários do país, está com uma vários eventos programados, lançou um site comemorativo, divulgou uma série de vídeos e está aprimorando e ampliando seus serviços de comunicação.

Nem tudo, entretanto, são flores. Como outras universidades públicas, a Unifesp enfrenta dificuldades com o corte de recursos e dúvidas sobre seu futuro.

A Reitoria e as diretorias dos campi promoverão Audiências Públicas para informar e dialogar com a comunidade Unifesp sobre o bloqueio orçamentário. O objetivo é o de avaliar os cenários, que se modificam a todo momento, delineando os próximos passos para que a universidade se mantenha aberta e em funcionamento durante o ano todo.

Em nota, a universidade ainda informou que está no aguardo de que o Governo Federal realize os repasses de recursos orçamentários necessários. A Unifesp defende que realiza gestão eficiente e eficaz dos recursos em ensino, pesquisa, extensão e assistência. O cronograma das Audiências Públicas ainda não foi divulgado, mas elas aconteceram em agosto.

Com o recente bloqueio orçamentário, a Unifesp declarou que estão sendo propostas medidas para manter o funcionamento, com ações coordenadas junto aos diversos campi.

Ampliação

A partir de 1994, a Unifesp passou a ampliar os campi e cursos oferecidos. Manteve os cursos ministrados nas áreas de Enfermagem, Biomedicina, Fonoaudiologia, Medicina e Tecnologia Oftálmica – que hoje integram as Tecnologias em Saúde. E, com o apoio das prefeituras locais e com os recursos provenientes do programa de expansão do governo federal, implantou novas unidades em municípios próximos a São Paulo: Baixada Santista, Diadema, Guarulhos, São José dos Campos e Osasco
Nesses novos campi, foram criados cursos em ciências exatas, humanas, ambientais e sociais aplicadas.

Assim, foram ampliadas as vagas presenciais de graduação em 1.062%. Atualmente, a instituição soma 21.950 matrículas distribuídas em 52 cursos de graduação, 68 cursos de mestrado, 38 cursos de doutorado, 84 residências médicas, 16 residências multiprofissionais e 123 especializações e aperfeiçoamentos. Nos 240 programas e projetos de extensão, são mais 11.800 matrículas.
Para a região de Vila Mariana/Vila Clementino e bairros próximos, a EPM continuou com importância ímpar já que oferece, além de inúmeros ambulatórios médicos e do próprio Hospital São Paulo, vários eventos, atividades e programas voltados ao atendimento da comunidade. Um dos destaques é a Universidade Aberta para a Pessoa Idosa.

Comemoração

Para celebrar seus 25 anos, a Unifesp já divulgou esse ano várias novidades. Criou novos canais de comunicação e de interação com alunos, servidores e sociedade, com um portal comemorativo, um aplicativo e uma série de vídeos.

O portal – 25anos.unifesp.br/ -conta a história da universidade, por meio de seus principais marcos e mostra números nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, além de divulgar notícias e eventos. O portal comemorativo apresenta ainda como atrativos um vídeo de apresentação da universidade e, para quem tem curiosidade em conhecer alguns espaços da instituição, a possibilidade de realizar um “tour virtual”, na seção Unifesp 360º.

Já o aplicativo 25 anos disponibiliza informações sobre os seis campi da Unifesp, como cursos e serviços oferecidos, incluindo cursinhos populares e bibliotecas, além de notícias e agenda de eventos.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!