Jornal São Paulo Zona Sul

Subprefeitura do Jabaquara promove ações em viadutos e praças próximos à Av. Bandeirantes

Desde 2010, o jornal São Paulo Zona Sul já abordou várias vezes o drama de usuários de drogas, em especial álcool e crack, que ocupam os baixos de viadutos na Avenida dos Bandeirantes e sua sequência, a Afonso D’Escragnole Taunay. Também as praças e áreas verdes ao redor dos viadutos, em área que é divisa das subprefeituras Vila Mariana e Jabaquara, o triste cenário se espalha.

A situação, segundo moradores, só vem piorando. No passado, já houve diversas operações de assistentes sociais, guardas civis metropolitanos, agentes de saúde e também de equipes de limpeza e jardinagem, inclusive em conjunto com apoio da Polícia Militar, mas depois que as abordagens terminam e a Prefeitura finaliza a limpeza e recolhimento de objetos proibidos, os ocupantes retornam.

Moradores de bairros vizinhos e motoristas que circulam pela área relatam abordagem nos semáforos e esquinas. Há quem conte haver mendicância, outros relatam assaltos ou abordagens agressivas, em busca de dinheiro para o consumo das drogas.

Recentemente, a situação parece ter ficado mais crítica. O subprefeito do Jabaquara, Arnaldo Faria de Sá, desenvolveu uma operação especial ali, com apoio inclusive do Grupo de Operações Especiais da Polícia – o GOE – já na primeira semana após sua posse, no final de fevereiro. “Não podem ficar.

Ninguém pode obrigar pessoas em situação de rua a buscarem apoio em albergues e outros serviços, mas isso não significa que têm o direito de se instalar ali”, disse o subprefeito. Faria de Sá ainda relatou que o apoio da Polícia seria importante para encontrar eventuais pessoas com histórico criminal.

Desde então, várias ações vêm sendo promovidas no local. “Todas as semanas estamos lá. Eles voltam, mas nós voltamos para limpeza, retirada de objetos que caracterizem instalação definitiva”, conta Beto Mendes, chefe de gabinete da Subprefeitura do Jabaquara. “Na primeira operação, com apoio policial, houve duas prisões de pessoas já procuradas”, completa.

Ele afirma que a população pode ter a sensação de que as operações são ineficazes, porque os usuários voltam a se instalar. “Mas é preciso insistir e mostrar que não aceitaremos a ocupação com sujeira, uso de drogas, abordagem aos transeuntes”, garante.

Beto avalia que em breve as ocorrências na região também vão diminuir. “Na reunião do Conseg Jabaquara, já não houve queixas sobre o local”, diz.

Veja mais imagens da ação da Subprefeitura na região:

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!