Jornal São Paulo Zona Sul

Semana terá teatro e contação de histórias online

Todos os espaços culturais da cidade estão fechados e todos os eventos foram cancelados – sejam eles em parques, ruas ou ambientes fechados.

As escolas também não têm aulas presenciais e as crianças se ressentem da redução de oportunidades de interagir e dar asas à imaginação…

Mas, algumas programações podem trazer diversão à garotada. As bibliotecas públicas municipais, por exemplo, estão promovendo contação de histórias online.

E tem mais: para pessoas de todas as idades, as bibliotecas também estão trazendo dicas de leitura – até temáticas! Já foram relacionadas obras com o assunto “pandemia”, assim como outras com a palavra “casa” no título, inspiradas no atual momento.

Histórias

A Biblioteca Viriato Correa, na Vila Mariana, é uma das que mantém contato constante com a comunidade. Para o Dia das Mães, teve vídeo recitando poesia.

Toda sexta, tem vídeo com histórias bem divertidas para a garotada e pessoas de todas as idades.

Para conferir – mesmo os vídeos já apresentados – e acompanhar as sugestões, procure a página da Biblioteca no Facebook .

Ou use a tag #meconteumahistoria para encontrar tanto os vídeos da Viriato Correa quando do sistema de bibliotecas públicas da cidade.

Teatro: entrevista, bate papo e espetáculo

Já o Teatro João Caetano, que fica na Vila Clementino, está apresentando lives.

A próxima delas será com o ator e morador da região, Rogério Nagai, que também é produtor cultural, empresário e ativista, além de idealizador e coordenador do projeto Sobreviventes pela Paz.

A live com ele acontece na próxima quinta, 21 de maio, às 19h, no Instagram do teatro joão Caetano. A classificação etária é livre.

No dia 22 de maio, ás 20h, haverá uma Live Espetáculo – “Cebola – cascas de um todo”.

O espetáculo é um trabalho que faz uma reflexão sobre os tipos de relacionamentos, utilizando a metáfora da cebola para trabalhar sobre as várias camadas do amor.

Aproveitando esse período de reclusão, os pensamentos soltos, lembranças dos passados amorosos voltam e assim a vontade de dançar na sala, ouvindo aquela música que marcou algum amor serve como trilha.

Os bailarinos, cada um em sua casa, revivem as cenas do espetáculo, cenas essas gravadas e editadas na mesma ordem do espetáculo original, mas agora com um cenário diferente, a casa de cada um. Dançar na sala, no tapeta, no jardim, na porta de casa. São lugares que remetem a emoções e sensações que o trabalho pede. É uma nova visão, mas com a mesma emoção. A solidão pós término, pós briga, pós desilusão, durante a reclusão.

A metáfora do amor, sendo vista como um sentimento que se não for tratado de maneira segura, acaba machucando, mas sendo bem tratado, pode ser eterno. Através de músicas da bossa nova ele trilha um caminho que busca no íntimo de cada pessoa lembranças de relacionamentos. Um bailado que busca impressionar por sua precisão e expressão, dessa vez dançado em casa, com a rosa sendo guia para as trocas das cenas..

A classificação etária do espetáculo também é livre.

As apresentações acontecem no Instagram do teatro: @teatrojoaocaetanosp.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!