Siga-nos

Cultura

Sede do Museu Lasar Segall agora é patrimônio histórico

Publicado

em

Lasar Segall nasceu na Lituânia, em 1891, mas apaixonou-se pelo Brasil já no início do século XX. No início dos anos 1920, instalou-se definitivamente no país tropical, casou-se em 1925 com Jenny Klabin e viveu na Vila Mariana em uma casa de linhas modernistas, projetada pelo arquiteto russo e amigo Gregori Warchavchik, até 1957, ano de sua morte. Dez anos depois, seu ateliê foi transformado em museu.
E desde 1967, a Vila Mariana abriga este espaço cultural com importância que transcende a cidade. O museu ficou fechado durante um ano e meio, a partir de 2013, para uma ampla reforma estrutural. Agora, o imóvel que serviu de lar e de ateliê, onde foram criadas obras primorosas do artista reconhecido mundialmente, foi considerado também um patrimônio histórico da cidade. Em setembro, foi publicado em Diário Oficial o tombamento das isntalações do Museu Lasar Segall, por seu valor arquitetônico e histórico.
A decisão foi unânime pelos nove conselheiros que compõem o Conpresp – Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo. Entre outras razões, a resolução que determina a preservação definitiva do imóvel lista a importância arquitetônica do Museu Lasar Segall instalado na antiga residência e ateliê de Lasar Segall, projetado em 1932 por Gregori Warchavichik, à Rua Berta no 111.
O órgão também aponta que o tombamento vem inserir definitivamente o imóvel em um conjunto de edificações de mesmas linhas arquitetônicas na região, como os sobrados localizados na mesma Rua Berta e a própria Casa Modernista, na Rua Santa Cruz, onde viveu o próprio Gregori Warchavchik e a cunhada de Segall, Mirna Klabin.
O tombamento prevê que poderão ser feitas intervenções internas para ajustes ou modernização das instalações e inclui as as alterações já executadas na edificação.
Estabelece ainda que deverá ser mantida configuração espacial determinada pela relação entre edificação, jardins com cobertura pergolada, passeios e pátio interno em frente ao atelier. Já a vegetação poderá ser substituída, desde que as árvores de grande porte sejam mantidas.
Projetos futuros de intervenção deverão serpreviamente analisado pelo Departamento de Patroimônio.
Instalado inicialmente em um imóvel particular da família, o Museu Lasar Segall foi incorporado à Fundação Nacional Pró- Memória, e passou a integrar posteriormente ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) do Ministério da Cultura-MINC, e atualmente vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) também pertencente ao MINC, desde que foi criado em 2009.
Em 2015, o museu já havia conseguido o tombamento definitivo de sua coleção de obras. O acervo foi inscrito no Livro do Tombo das Belas Artes, conforme aviso do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
O Museu Lasar Segall fica na Rua Berta, 111, na Vila Mariana e está aberto à visitação de quarta a segunda, das 11h às 19h.

cultura

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados