Jornal São Paulo Zona Sul

Região tem vários postos para testagem grátis e rápida de HIV

Na Vila Mariana, fica a sede do Centro de Referência e Tratamento em Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (CRT/DST Aids). Mas, engana-se quem pensa que é só ali, no prédio da Rua Santa Cruz, 91, pertinho da estação de mesmo nome, quje é possível fazer testagem rápida de HIV, receber orientações sobre prevenção e tratamento, conseguir preservativos gratuitamente. Em vários postos da região estes serviços são oferecidos gratuitamente.

Mais do que isso, por conta das ações pelo Dia Mundial de Combate à Aids, estão sendo promovidas testagens gratuitas em terminais de ônibus como o do Jabaquara, estações de metrô por toda a cidade e outros pontos públicos.

A lista completa de endereços de postos de saúde pode ser encontrada, por subprefeitura, em www.saude.sp.gov.br/centro-de-referencia-e-treinamento-dstaids-sp/fique-sabendo/onde-fazer-teste-de-hiv-

Números

Essa semana, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou que houve queda no número de casos de HIV por dois anos consecutivos, o que nunca ocorreu desde que o levantamento começou a ser realizado há 36 anos, em 1983. Em 2018 foram notificados 3.145 casos de HIV contra 3.826 notificações em 2017, uma queda de 17,8%. A queda de 2016 para 2017 foi de 1,4%. Antes disso, o aumento do número de casos só havia registrado quedas isoladas em 2004 e mais tarde em 2006. Embora positivos, os números não significam que deva haver descuido na prevenção.

Desde 2018, a cidade tem compromisso com a Meta 90-90-90, uma iniciativa do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) que visa a eliminar a epidemia de Aids no mundo. O objetivo é, até 2020, ter 90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas, 90% destas em tratamento, e 90% das pessoas em tratamento com carga viral indetectável (quantidade bem baixa de vírus no organismo e que, após seis meses nessa condição, o HIV se torna intransmissível nas relações sexuais).

A Rede Municipal Especializada em DST/Aids, composta por 26 serviços de saúde, possui atualmente 46.500 pessoas vivendo com HIV ou aids em seguimento.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!