Siga-nos

Meio ambiente

Reciclagem de pet não para de crescer

Publicado

em

Nada é tão simples quanto pode parecer quando analisamos as alternativas de produção na sociedade moderna. A grande quantidade de embalagens utilizada diariamente é alvo de constantes estudos, seja para evitar o uso excessivo de recursos naturais, seja para reduzir o material direcionado aos aterros sanitários. O crescente uso de garrafas pet é um bom exemplo das diversas nuances que envolvem o tema. Será que o ideal seria abrir mão das embalagens pet e voltar às garrafas retornáveis de vidro?
Claro que ambas têm suas vantagens. Mas, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria o Pet (ABIPET), as embalagens de vidro ocupam muito mais espaço durante o processo de transporte, gerando maior gasto de combustível, além do consumo de água no processo de lavagem das garrafas para reuso.
Se a embalagem pet é inevitável, especialmente por sua praticidade, a discussão deve ter foco na destinação correta após o uso. Na edição anterior, falamos sobre os diversos usos que a pet pode ter no ambiente doméstico, acondicionando óleo e outros resíduos líquidos que poderiam ser despejados na rede de esgoto.
As garrafas que sobram podem ser encaminhadas à reciclagem. A demanda pela sucata cresce a cada dia e a indústria têxtil é uma das grandes responsáveis. Hoje, o material resultante da reciclagem do pet serve como enchimento de edredons, transforma-se em camisetas e blusões, acaba na ponta das vassouras. O material também é usado para setores como construção civil, tintas, produção de automóveis e caminhões ou telefones celulares.
Uma maneira simples de encaminhar as pets para a reciclagem é leva-las para a rede de supermercados Pão de Açúcar, que tem várias lojas na região. A coleta seletiva feita pela Prefeitura na região também destina a sucata para a transformação. Ainda de acordo com a Abipet, um terço do faturamento de toda a Indústria Brasileira do PET provém da reciclagem.
A Ong Adere é outro exemplo local de entidade que usa pets para produzir artesanato. Mas, como em toda instituição de menor porte, o ideal é sempre consultar qual o volume aceito por cada uma delas e se há carência do material no momento. A Adere fica na Rua Contos Gauchescos, 86 – Vila Santa Catarina. Telefones: 5562-4523/4276. Site: www.adere.org.br

 

Encaminhar e comprar
A camisa oficial da seleção brasileira também é feita a partir da reciclagem de pets. Comprar produtos feitos de recicláveis ajuda a fomentar o ciclo positivo

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados