Siga-nos

Ecourbis

Quanta água gastamos por mês?

Publicado

em

Não basta analisar a marca do registro de água em casa. Produzir muito lixo ou consumir excessivamente desperdiçam água

U m recente relatório publicado por entidade de defesa do meio ambiente mostrou o custo ambiental que os excessos consumistas podem gerar, especialmente no que diz respeito ao desperdício do bem mais vital à vida: a água.

De acordo com o levamentento, feito a pedido d ONG Friends of the Earth (Amigos da Terra), mostrou que nosso maior consumo de água pode não estar nos banhos, lavagens de quintal e preparo de comidas, mas sim em nossos hábitos de consumo.

Um único smartphone pode consumir quase 13 mil litros de água para ser produzido. Uma calça jeans  consome em média 10.850 litros de água para ser produzida. É uma quantidade suficiente para suprir o consumo residencial de uma pessoa por mais de três meses!

De acordo com o Instituto Akatu para o Consumo Consciente, os pesquisadores chegam a estes números depois de analisar toda a cadeia de produção de um bem de consumo. No caso de uma fruta, por exemplo, a água da irrigação da planta durante todo o seu cultivo é levada em conta.

Aliás, outra preocupação do consumidor deve ser com o desperdício de alimentos ou com o excesso de consumo de carne.

A agricultura é responsável pelo maior consumo de água no mundo, segundo a ONU. A irrigação consome 70% da água doce disponível no planeta – no Brasil, o percentual é 60%, segundo a Agência Nacional das Águas.

Na pecuária, o uso de água também é intenso. Para produzir cada quilo de carne bovina, são gastos mais de 15 mil litros de água, o que inclui não apenas a água consumida pelo animal durante sua vida, como também a água gasta na limpeza e no resfriamento do ambiente.

A partir de todos estes dados, estima-se que cada pessoa consuma, por dia, algo entre 2 mil e 5 mil litros de “água invisível” contida nos alimentos que come, de acordo com a ONU.

Neste cenário, com o medo de futura escassez de água e outros recursos naturais, o ideal é que as empresas e o agronegócio desenvolvam técnicas mais avançadas, que permitam a economia de água. Ao consumidor, cabe evitar a troca desnecessária de produtos em bom estado de uso e a preocupação constante com a destinação final de resíduos. Quanto mais se consome, mais resíduos – recicláveis ou não – são produzidos.

Encaminhar recicláveis para a coleta seletiva e reduzir a quantidade de resíduos da coleta doméstica tradicional é atitude essencial também para prolongar a vida útil de aterros.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados