Siga-nos

Meio ambiente

Poda de árvores é intensificada na região

Publicado

em

Em toda a cidade, Prefeitura quer evitar acidentes e interrupções no fornecimento de energia com quedas de árvores e galhos. Vila Mariana é uma das áreas prioritárias

Engana-se quem pensa que a época das chuvas está acabando. Nos últimos anos, houve registros de grandes temporais em março e abril,com grande número de árvores caindo, fiação arrebentada e falta de energia, Nesse cenário, fica a pergunta: uma região repleta de áreas verdes e ruas de arborização antiga está pronta para estes possíveis vendavais e chuvas intensas?
O prefeito Fernando Haddad assumiu a prefeitura anunciando um plano contra enchentes e de ações preventivas aos danos que fortes tempestades podem trazer à cidade. E, neste cenário, uma das ações mais vistas pela região é o trabalho preventivo com árvores. Vários exemplares têm sido podados ou mesmo removidos, o que chegou a causar surpresa em alguns leitores.
Mas o fato é que a Prefeitura está buscando evitar desastres com a queda de galhos ou exemplares inteiros. “Não dá para ter convicção de que nenhuma árvore vai cair, mas se pudermos agir com antecedência, de forma preventiva, certamente os problemas serão menores”, comentou o subprefeito de Vila Mariana, Luiz Fernando Macarrão, em visita recente ao São Paulo Zona Sul.
Ele sabe que os bairros da Vila Mariana, Saúde e Moema têm arborização antiga e muitas vezes resultante de escolhas erradas do passado: espécies inadequadas para o meio urbano, que adquirem grande porte ou cujas raízes quebram calçadas. E, seja pela idade ou pelo porte, muitas destas acabam não resistindo a grandes temporais.
A meta é reduzir a demanda de pedidos acumulados nas subprefeituras e, para isto, uma das medidas estabelecidas pelo prefeito foi liberar podas ou cortes com o laudo do engenheiro agrônomo da cada subprefeitura. Antes, em alguns casos, árvores localizadas em bairros preservados como o Planalto Paulista, precisavam de laudo específico aprovado por engenheiro da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente. “O engenheiro continuará se responsabilizando, por eventuais erros”, explica Luiz Fernando.
A Prefeitura também garante que, não apenas durante esta fase de intensificação dos trabalhos, prossegue com os serviços de manutenção, como poda e tratamento fitossanitário (descupinização e remoção de pragas), entre outras. As esquipes deverão analisar a situação do logradouro, suas características, instalações, equipamentos e mobiliários e, simultaneamente, respeitar as características da espécie, como dimensão, folhagem, raízes e frutos, de forma a adequar a arborização do local. Além disso, as intervenções sempre são orientadas por um profissional habilitado, com base em legislações municipais, estaduais e federais.
Os moradores também devem ficar atentos. De acordo com a Secretaria das Subprefeituras, sinais como ocos abertos, fungos, rachaduras e fendas longitudinais podem indicar risco. O munícipe contate a Subprefeitura, para que a situação da árvore seja avaliada e o melhor manejo para o exemplar seja indicado. Vale ressaltar que um corte ou poda realizada por pessoa não habilitada ou autorizada pode gerar multa e ainda ser considerado crime ambiental.
O pedido pode ser feito pelo site da prefeitura (www.capital.sp.gov.br) ou pessoalmente, na praça de atendimento da própria subprefeitura. A de Vila Mariana fica na Rua José de Magalhães, 500, (3397-4100). No Jabaquara, a Subprefeitura está na Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 2314, (3397-3200). A Subprefeitura do Ipiranga fica na Rua Lino Coutinho, 444 (fone: 2808-3600).

 

Advertisement
2 Comentários

2 Comments

  1. Luis

    19 de fevereiro de 2013 at 11:16

    Se realmente as Sub-prefeituras estivessem preocupadas com as situações das àrvores em condições perigosas,não criariam tantas dificuldades burocráticas aos cidadãos fazerem os pedidos de poda,pois estou a va´rios meses tentando o serviço de poda em das àrvores espécie gigante de Seringueiras, que cada vez mais avança sobre as casas em umas das mais movimentadas avenidas do Bairros Jd.Aeroporto e Pq.jabaquara,nas Avenidas Pedro Bueno e Av.João Pedro Cardoso,que há várias Gestões Municipais,não é realizado serviços de podas nessas Àrvores Gigantes,pondo em risco de acidentes graves não só as casas como pedestres e Veículos que podem ser atingidos até pelos galhos secos que são compridos e expessuras fortes,além de danificar as fiações elétricas!
    Pois a sub-Prefeitura de Santo Amaro nunca aceita pedidos por telefone ou Emails,somente se for feito pessoalmente as Sub-Prefeitura,ou seja terei que faltar o meu serviço,pra resolver um problema que está em pleno canteiro central da avenida e afetando várias pessoas,em que a Prefeitura poderia acatar simplesmente por telefone ou Email. Estão esperando algo de grave acontecer par depois tentarem tomar as providências pou algum òrgão da Imprensa Jornalística denunciar em seus programas de telejornais,como sempre Lamentavelmente acontece neste País!

  2. Luis

    19 de fevereiro de 2013 at 11:20

    Se realmente as Sub-prefeituras estivessem preocupadas com as situações das àrvores em condições perigosas,não criariam tantas dificuldades burocráticas aos cidadãos fazerem os pedidos de poda,pois estou a vários meses tentando o serviço de poda em das àrvores espécie Gigante de Seringueiras, que cada vez mais avança sobre as casas em umas das mais movimentadas avenidas do Bairros Jd.Aeroporto e Pq.jabaquara,nas Avenidas Pedro Bueno e Av.João Pedro Cardoso,que há várias Gestões Municipais,não é realizado serviços de podas nessas Àrvores Gigantes,pondo em risco de acidentes graves não só as casas como também à pedestres e Veículos que podem ser atingidos até pelos galhos secos que são compridos e espessuras fortes,além de estar danificando as fiações elétricas!
    Pois a sub-Prefeitura de Santo Amaro nunca aceita pedidos por telefone ou Emails,somente se for feito pessoalmente as Sub-Prefeitura,ou seja terei que faltar o meu serviço,pra resolver um problema que está em pleno canteiro central da avenida e afetando várias pessoas,em que a Prefeitura poderia acatar simplesmente por telefone ou Email. Estão esperando algo de grave acontecer par depois tentarem tomar as providências por algum òrgão da Imprensa Jornalística denunciar em seus programas de telejornais,como sempre Lamentavelmente acontece neste País!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados