Siga-nos

Artigo

Os segredos do tratamento da depressão

Publicado

em

A depressão é um problema que parece ser puramente psicológico, como se fosse uma reação psicológica a algum estresse ou frustração grande, e que a pessoa que sofre de depressão deveria ter controle sobre o que sente, pois “é tudo psicológico”. A realidade não é bem essa. A depressão, quando se apresenta com a maioria dos sintomas característicos, é uma condição em que o cérebro já sinalizou que “quebrou”, que sofreu tamanho desgaste que passou a não funcionar direito. Estudos científicos demonstraram que as pessoas com depressão tem alterações estruturais do cérebro, às vezes até com diminuição de algumas áreas, principalmente ligadas à memória, ao estresse e ao raciocínio. Outros estudos comprovaram que o cérebro dos pacientes com depressão tem sinais de inflamação ao nível de células (neurônios e glia), e apresentam menor número de conexões entre os neurônios e até maior nível de morte de neurônios. Portanto, a depressão é uma condição de doença, e precisa ser tratada.
Entretanto, o tratamento da depressão não é tão simples quanto parece. Quadros mais leves de depressão podem melhorar só com psicoterapia (tratamento psicológico), mas quadros moderados, que geralmente apresentam prejuízos evidentes, como dificuldade para trabalhar e para se relacionar com as pessoas, necessitam definitivamente de medicação antidepressiva, pois só a psicoterapia demora demais, e pode não funcionar tão bem. Nos quadros mais graves, em que a pessoa fica totalmente incapacitada (quase não consegue sair da cama, tem ideias de suicídio), o tratamento psicológico isolado é claramente insuficiente. A razão disso é que para a psicoterapia funcionar, a pessoa precisa estar com o funcionamento mínimo cerebral e do corpo como um todo. Uma pessoa deprimida não consegue pensar direito, não consegue se concentrar no que os outros estão falando, não tem disposição para fazer o que ele sabe que precisa fazer, fica pessimista, achando que nada vai dar certo, ou seja, não tem condições de reagir por conta própria. Como a psicoterapia só funciona em quem consegue entender, decidir e agir, então nos casos moderados a graves, só a psicoterapia não tem chances de funcionar. Porém, o tratamento psicológico é fundamental em praticamente todo tipo de depressão, pois dá apoio, ajuda a superar a fase mais grave e sofrida, ajuda o indivíduo que está se recuperando a retomar as atividades e superar as perdas (perda de trabalho, de casamento, relacionamentos, estudo, etc). E, principalmente, pode ajudar a reconhecer as situações estressantes que podem desencadear a depressão e aprender a lidar com elas, prevenindo novos episódios.
Já o tratamento com medicamentos antidepressivos é um outro problema. Estatisticamente, um antidepressivo pode melhorar cerca de um terço dos casos, e se for tentado quatro tratamentos diferentes sequenciais, até dois terços realmente melhoram bem. Por que o tratamento com medicamento parece funcionar tão pouco? É por que os quadros depressivos são muito diferentes, como se existissem quase infinitos subtipos de depressão, e os médicos não tem regras claras para decidir com boa eficiência qual seria o tipo de esquema de antidepressivos ideal para cada caso. Por isso que tanta gente que se trata com antidepressivos parece que não melhora direito com eles, e outros melhoram só um pouco, para piorar logo depois. É fundamental que o médico tenha tempo para detalhar com cuidado todos os sintomas relevantes da depressão de cada paciente, para que possa escolher um antidepressivo mais adequado. E, mais importante ainda, é preciso um seguimento de perto, para ver como o remédio funcionou, quais os efeitos colaterais que surgiram, para decidir com agilidade se deve trocar de remédio, ou aumentar a dose, ou juntar com outros remédios para tentar melhorar completamente a depressão. Um tratamento com um antidepressivo pode demorar até 2 meses para conseguir funcionar plenamente, mas existem detalhes no tratamento que podem autorizar a troca de um antidepressivo antes deste tempo, principalmente se não tiver nenhum sinal de melhora em duas semanas de tratamento.
Tratar a depressão é uma ciência, com muitos estudos científicos sobre esta doença, mas é também uma arte, pois é tão complexo que nem um médico experiente consegue acertar o tratamento com facilidade. Por isso, entender bem a doença, e ter uma boa aliança com o médico e com o psicólogo, são fundamentais para se obter o melhor tratamento possível para a depressão, que mesmo assim pode ser demorado e insatisfatório por muito tempo.
Prof. Dr. Teng Chei Tung – Psiquiatria – Psicoterapia  – CRM 65297
Médico Supervisor do Hospital das Clínicas da FMUSP – Doutorado em Medicina pela FMUSP
Avenida Aratãs, 677 – Moema – Fone: 5051-1963

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados