Siga-nos

Urbanismo

Obras de drenagem na avenida Whitaker estão atrasadas?

Publicado

em

Já se passaram praticamente dois meses do ano de 2015 e por enquanto não há sinais de obras para readequação do leito dos rios Paraguai e das Éguas, que passam sob as avenidas José Maria Whitaker e Ascendino Reis. Ali, há constantes problemas de alagamentos e uma promessa antiga de obra de drenagem. Apesar de ter constado do plano de governo de Gilberto Kassab, a obra não saiu do papel. Está novamente no plano de metas de Fernando Haddad, que no ano passado confirmou que a obra sairia graças a recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal.
Entretanto, o que se viu neste ano foram apenas faixas colocadas na região pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), alertando motoristas de que a área é sujeita a alagamentos.
A Secretaria de Infraestrutura Urbana, procurada pelo jornal SP Zona Sul, nega que existam atrasos. Informa que desde setembro o processo de licitação da obra está em andamento e que a demora é por se tratar de uma grande obra, o que exige prazos legais de licenciamentos ambientais, prazos para recursos previstos em leis, etc.
Ana não há atraso algum. O processo de licitação está em andamento. é uma obra de grande porte e estamos a disposição do jornal para qualquer questionamento. Estou entrando em férias e vc pode procurar o Moises dos Santos. Todos os empreendimentos citados na operação chuvas de verão estão em processos de licitação, seguindo ritualmente todos as exigências legais de licenciamentos ambientais, prazos de recursos previstos em lei, e etc.
O projeto prevê a implantação de um reservatório de detenção, canalização do córrego e readequação das margens, com paisagismo e implantação do sistema viário, com financiamento de R$ 80 milhões provenientes do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.
O córrego Paraguai passa sob a Avenida José Maria Whitaker, em Mirandópolis, onde são históricos os alagamentos em períodos de chuvas fortes. O córrego Éguas nasce na região de Moema e se junta com o Paraguai na região da sede do Tribunal de Contas do Município – TCM, na Avenida Ascendino Reis.
Toda essa região, incluindo os baixos do viaduto Onze de Junho, será beneficiada com as obras de macro e microdrenagem na bacia destes córregos.

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados