Siga-nos

Transporte

Obras da Linha Ouro no Jabaquara: sem previsão

Publicado

em

O índice de confiança dos paulistas no metrô e também a avaliação do serviço prestado pela empresa são altos, conforme várias pesquisas realizadas ao longo dos anos. Talvez por isso e pela carência de transporte público de qualidade na cidade, as obras de expansão da rede geram alta expectativa na população.
O fato é que elas estão atrasadas e o metrô já deveria estar espalhado por vários bairros, com quilometragem bem superior à que apresenta na atualidade.
A partir desta semana, o jornal SP Zona Sul inicia uma série de reportagens abordando as obras de expansão do metrô na região de Vila Mariana, Saúde e Jabaquara. E começamos a partir das especulações sobre a expansão da Linha 17 – Ouro, que vai correr em elevado, no sistema de monotrilho. São trens menores e que circularão sobre pilares que estão sendo construídos – inicialmente no trecho que passa pela Avenida Água Espraiada, e que vai conectar o Aeroporto de Congonhas à rede de trens metropolitanos já existente.
A obra foi a única prometida pelo Governo do Estado para a Copa do Mundo no Brasil. Entretanto, já em 2012 se previam atrasos. À época, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos alegou que como o estádio do Morumbi havia deixado de ser considerado para a Copa, então a obra perdeu o caráter prioritário. Em março passado, entretanto, o governo divulgou novos prazos: só em 2017 o monotrilho deverá estar circulando.
Trajetos
Não são só os prazos que se alteraram no que diz respeito à Linha Ouro. Quando foi inicialmente divulgado, o projeto previa a conexão entre o Aeroporto de Congonhas e a rede metroviária pela estação São Judas do Metrô. E a promessa era de que este pequeno trecho, de pouco mais de um quilômetro de extensão, passando sobre a Avenida dos Bandeirantes, ficaria pronto até 2010!
A ideia foi abandonada e duas novas conexões com a rede metroviária foram previstas: com a estação Morumbi da CPTM (trens metropolitanos) na Linha Esmeralda – 9; e com a estação Jabaquara do metrô, na Linha 1 – Azul.
A Companhia do Metropolitano alega que os estudos iniciais consideraram a ligação do Aeroporto com a estação São Judas, mas durante o processo de obtenção das licenças necessárias para o empreendimento, o CONPRESP (Conselho de Preservação do Patrimônio) foi contrário à construção do elevado e da estação Congonhas em frente ao Aeroporto, pois este passava pela fase final de tombamento, limitando a utilização de seu entorno.
Foi por isso, de acordo com a Companhia, que a nova opção se tornou a estação Jabaquara, de modo a manter todas as integrações previstas. Além de se conectar à Linha 1-Azul, no Jabaquara, a Linha Ouro também terá conexões com a Linha 5-Lilás (Campo Belo); com a Linha 9-Esmeralda (Morumbi, CPTM) e com a Linha 4-Amarela (São Paulo-Morumbi).
O primeiro trecho já em obras, tido como prioritário, vai conectar o Aeroporto à linha de trens, mas a data em que haverá conexão com o metrô ainda é incerta.
De acordo com o metrô, atualmente, estão em execução os blocos de fundação, os pilares, os capitéis (apoio das vigas de rolamento) e o lançamento das vigas da via permanente, além do Pátio Água Espraiada e das oito estações do primeiro trecho, que vai da estação Congonhas até a estação Morumbi da CPTM, na Marginal Pinheiros.
Já a construção do terceiro trecho, que ligará o Aeroporto à estação Jabaquara, não tem previsão sequer para começar. Segundo o metrô, esta fase da obra está condicionada ao reassentamento de famílias e ampliação da avenida Roberto Marinho, pela Prefeitura.

 

 

Metrô vai passar sobre Imigrantes e Cidade Vargas?

Em outubro de 2013, após visita do governador Geraldo Alckmin à Diadema, vários veículos de comunicação noticiaram que havia confirmação de que o metrô finalmente sairia da capital paulista e atingiria a cidade vizinha de Diadema, a partir da estação Jabaquara.
No mês seguinte, em reunião no gabinete da Secretaria de Transportes Metropolitanos, teria ficado decidido que esta conexão se daria através da Linha 17 – Ouro, em monotrilho, saindo da estação Jabaquara, passando sobre o bairro da Cidade Vargas até atingir a Rodovia dos Imigrantes. O trajeto margearia a rodovia até atingir a região de Diadema, seguindo pela Avenida Conceição.
Questionada pelo jornal São Paulo Zona Sul sobre o projeto, a assessoria de imprensa do metrô diz que não há qualquer definição neste sentido, como chegou a ser noticiado na época.
A empresa informa apenas que, paralelamente à implantação dos primeiros trechos, o Metrô está realizando estudos para a viabilidade de uma futura extensão da linha até Diadema. Por enquanto, o que está definido é que haverá 17,7 km de vias elevadas, com 18 estações, do Jabaquara à futura estação Morumbi da Linha Amarela. Há atualmente 1200 pessoas trabalhando na obra física.

Advertisement
3 Comentários

3 Comments

  1. Elizabeth

    18 de maio de 2015 at 19:11

    Sinceramente, eu gostaria muito de ter a companhia dos srs. Governador Alckmin e do Prefeito Haddad, para fazer o trajeto diário, onde eu preciso pegar 3 ônibus, já que moro na Vila Babilônia, pra chegar no meu trabalho que fica, exatamente, no Palácio dos Bandeirantes. É um absurdo pra quem é morador da região saber que não há previsão desse monotrilho seguir até o Jabaquara. Muitos já morreram e não viram essa obra que é prometida há umas 4 a 5 décadas. Revoltante!!!

  2. Luciane Natalino

    18 de maio de 2015 at 22:05

    Fora o desgaste emocional,como possiveis desapropriações e abandono de obras e o não assentamento dos moradores das comunidades.Affff cansei desse assunto.

  3. Naldo

    27 de julho de 2017 at 14:35

    Tem que ligar urgente a cidade de Diadema ao Jabaquara pelo monotrilho, visto que as pessoas que vem do ABC utilizam o Trelébus que não suporta a grande massa de pessoas. Sem falar o corredor está pronto, é só tirar o trolébus e jogar o monotrilho…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados