Siga-nos

Sem categoria

Obelisco foi reaberto, no Ibirapuera

Publicado

em

Por doze anos, o Obelisco do Ibirapuera ficou fechado por conta da deterioração de suas instalações e precariedade de condições para receber visitantes. Mas, esta semana o espaço foi reaberto, depois de ter passado por obras que duraram um ano e custaram R$ 11,4 milhões – R$ 326 mil no projeto e R$ 11,1 milhões no processo de restauro e modernização. Localizado em frente ao portão principal do parque, na Avenida Pedro Álvares Cabral, região da Vila Mariana, o monumento conhecido por Obelisco na verdade é um Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932.
Foram desenvolvidos projetos de acessibilidade; acústica; prevenção, detecção e combate a incêndios; drenagem de água; pavimentação; paisagismo; e relacionados aos sistemas hidráulico, elétrico e telefônico.
O monumento tem agora bombas permanentes de drenagem do solo e subsolo, rampas e sanitários para o acesso de pessoas com deficiência. A praça e as paredes do Obelisco foram impermeabilizadas, e suas esculturas de mármore, recompostas. Foram ainda construídos mais 432 cinerários – locais onde são depositadas urnas com restos mortais. No total, o Mausoléu possui, agora, 871 cinerários.
Com 81 metros de altura e ocupando exatamente 1932 metros de área, o Obelisco é um dos maiores monumentos da cidade de São Paulo. O projeto de criação é de autoria do ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili. A construção, que ocorreu entre 1947 e 1970, é do engenheiro alemão Ulrich Edler.
Tombado como patrimônio histórico da Capital e do Estado, o Obelisco guarda os restos mortais de Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo (M.M.D.C.), estudantes mortos durante a Revolução de 1932, além de outros combatentes.
Existem, no local, 33 arcos que representam os 33 graus da Maçonaria. Além disso, a base principal do Mausoléu tem 9 metros; a base externa, 7m; e a altura do piso até a base da escultura do herói jacente é de 32m. Juntos, os números formam a data principal da revolução: 9/7/32.
A altura do monumento também traz referências a essas simbologias. Do solo ao topo, há 72 metros – que representam os 72 nomes de Deus da tradição esotérica hebraica. Neste caso, a soma dos algarismos resulta em nove, mais uma vez. A profundidade do subsolo também é de nove metros.
Já o salão principal, onde ficam os restos mortais, conta com três capelas, que representam o nascimento, o sacrifício e a ressurreição de Jesus Cristo. Os símbolos religiosos fazem associação com a história da cidade de São Paulo – a fundação (nascimento), a Revolução (sacrifício) e a ressurreição (publicação da Constituição de 1934).
No centro do Obelisco, há a escultura de Paulo Virgínio, o herói jacente que repousa em seu leito. A ideia da escultura é de que o herói não está morto, mas apenas descansa, pronto para acordar e lutar pelos paulistas e atirar de seu canhão a bala que dá forma ao salão.
O Obelisco – Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932 – está aberto para visitação diariamente, das 10 às 16 horas.

 

Mausoléu já pode ser visitado diariamente, das 10h às 16h

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados