Siga-nos

Saúde

Novo Hospital Universitário da Unifesp já atende como hospital dia, 100% SUS

Publicado

em

São mais de 16 mil m², distribuídos em 12 andares e quatro subsolos, com 77 consultórios, centro de diagnóstico e seis salas cirúrgicas para procedimentos de baixa e média complexidade. O novo hospital universitário gerenciado pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), na Vila Clementino, também conhecido como HU2, começou a atender e desenvolver de forma definitiva atividades acadêmico-assistenciais em 23 de julho.

Os atendimentos são feitos 100% via Sistema Único de Saúde (SUS) e a previsão é de que a unidade atinja a marca de 30 mil pacientes por mês entre as suas especialidades ambulatoriais quando o antedimento for pleno. A cerimônia de inauguração aconteceu de forma remota, em razão da pandemia.

“Temos agora um equipamento de saúde federal, voltado para atender a população de forma rápida e eficiente, possibilitando o diagnóstico adequado e procedimentos como pequenas cirurgias que não necessitem de longas internações”, disse o vice-reitor Nelson Sass.

A diretora de implantação do HU2, Ieda Maugeri, agradeceu, nominalmente a cada um dos que participaram do processo de implantação do hospital. “Não chegaríamos a este momento se não fosse a ação desses vários atores. Mudamos para esse equipamento prioritariamente aos finais de semana, gerando o mínimo de transtorno para a população”.

David Pares, chefe do Departamento de Obstetrícia, falou em nome dos representantes dos departamentos que já funcionam no local e disse ser uma honra poder participar do processo, que, em sua visão, acrescenta de forma substancial para o ensino, pesquisa e extensão. “Nossos atendimentos eram feitos em casas alugadas, nas quais não dispúnhamos das estruturas necessárias. Hoje podemos atender aos pacientes de forma multidisciplinar, em um ambiente amplo e agradável tanto para os profissionais de saúde quanto aos pacientes”, reforçou.

Ferraro afirmou que a data marca a realização de um antigo sonho. “Este é um ambiente completamente adequado à legislação sanitária e que dignifica ainda mais nosso ensino e nossa pesquisa e, em consequência, a extensão”. O diretor-superintendente aproveitou para destacar a importância do SUS e da universidade pública para o atendimento à população, o que ficou ainda mais evidenciado durante a pandemia da covid-19.

Manoel Girão também externou sua alegria de ver um projeto, iniciado pelo Departamento de Oftalmologia da EPM/Unifesp há cerca de 10 anos, ser concluído pela Unifesp e afirmou que o local reverterá à população o investimento recebido para a conclusão da obra.

Representando a Secretaria de Estado da Saúde, Olimpio Bittar destacou que a inauguração do HU2 é de enorme importância para o ensino, a pesquisa e a extensão e reforçou a parceria de décadas existente entre a secretaria e a universidade e o Hospital São Paulo.

A reitora Soraya Smaili destacou que ela só foi possível em razão de um trabalho conjunto e integrado. “A gestão da obra foi feita de forma adequada e organizada, contando com apoio de todas as gestões do MEC desde o início do processo”. Soraya ressaltou que os trabalhos continuaram mesmo durante a pandemia, mantendo, para isso, os cuidados recomendados. “As pessoas continuam precisando do nosso sistema, não só para a covid-19, como para outros tratamentos”. A reitora agradeceu também ao MEC, à Sesu/MEC e à Ebserh pelo apoio logístico e financeiro, fundamentais para a entrega do HU2 e colocou a universidade à disposição.

O novo hospital fica na Rua Botucatu, 821 – Vila Clementino e atende no regime de Hospital-Dia, que corresponde a uma modalidade de atendimento que em até 12 horas será capaz de avaliar o problema do(a) paciente, realizar exames diagnósticos e tratamentos, incluindo procedimentos cirúrgicos, sem a necessidade de internação.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados