Siga-nos

Problemas na região

Nova operação de abordagem a população de rua tem apoio da comunidade no Jabaquara

Publicado

em

Policiais e Guarda Civil voltaram a agir sob viadutos e em praças para identificar moradores de rua

Coincidência: nas duas operações para identificação de quem vive sob viadutos ou em praças do Jabaquara, foram levadas à delegacia e encaminhadas à assistência social, 68 pessoas. Mas, apesar de o número de abordagens ser o mesmo, apenas 25 deles já haviam passado pelo distrito. Isto significa que muitos daqueles que foram registrados na Operação anterior resolveram sair das ruas ou mudaram de bairro. “Fato curioso foi que nos deparamos com muitos moradores elogiosos. Comerciantes da região da Conceição nos procuraram para dizer que estão sentindo resultados positivos com as operações promovidas na região”, diz Genésio Leo Jr, delegado tituar do 35o. Distrito Policial.

A nova operação aconteceu na terça, dia 24, e foi novamente resultado de parceria entre a Guarda Civil Metropolitana, a Subprefeitura do Jabaquara, Polícia Militar e a Polícia Civil. “Um dos homens abordados na rua havia praticado assalto a comércio na região da Vila Santa Catarina”, relata o delegado.

Para ele, o trabalho nas ruas da região é uma forma de indicar os usuários de crack que a polícia está constantemente atenta à movimentação deles pela região, de forma a coibir os crimes. Além disso, tem caráter assistencial, já que abre a possibilidade de encaminhamento através de projetos profissionalizantes, oferta de passagens e estrutura para quem deseja voltar a sua terra natal ou até para vagas em albergues, nessa fase mais fria do ano. “As operações são conjuntas porque o trabalho é ao mesmo tempo preventivo, investigativo e social”, analisa Léo Jr.

Entre os materiais apreendidos, havia facas, canivetes, cachimbos de diversas formas e confecção, isqueiros e objetos contundentes (pedaços de paus, ferros, etc.

O delegado aconselha aqueles que forem abordados por moradores de rua na região em tom ameaçador, ou que assistem a atitudes suspeitas de quem está vivendo sob viadutos para que comuniquem o fato à Polícia Militar através do 190 informando o que ocorreu e fornecendo as características fisicas e de vestuário do autor e depois comparecer a uma Delegacia de Polícia. “Dessa forma a Polícia Militar tem condições de mapear e direcionar o Policiamento Preventivo para os locais de incidência e, a Polícia Civil passa a ter informações detalhadas para identificar e prender aqueles que efetivamente cometeram crimes”, diz.

 

Pela Constituição Federal, as pessoas são livres e têm o direito de optar por ficar nas ruas. Mas, as operações, segundo as autoridades, visam a registrar cada morador de rua e descobrir se há criminosos entre eles. Além disso, caso cometam crimes, como assalto a transeuntes ou ao comércio local, a investigação é facilitada.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados