Siga-nos

Trânsito

Nova ciclofaixa na Rua Luís Góis gera polêmica na vizinhança

Publicado

em

Em 2019, foram realizadas 10 audiências públicas e 10 oficinas participativas em todas as regiões da cidade para definir as implantações e requalificações. Uma das decisões foi pela implantação de uma ciclofaixa na Rua Luís Góis, divisa de Mirandópolis e Vila Clementino. A pista ligaria a Avenida José Maria Whitaker à ciclofaixa da Alameda das Boninas que, por sua vez, se conecta à ciclovia do corredor formado pelas vias Av.Jabaquara/Rua Domingos de Moraes – desembocando na Paulista.

Mas, agora que a ciclofaixa da Rua Luís Góis está em implantação, conforme previsão do Plano Cicloviário, um intenso debate está fomentando paixões nas redes sociais. Em grupos de bairros, moradores favoráveis e contrários à novidade têm apresentado seus argumentos.

Os ciclistas e muitos moradores favoráveis à proposta apontam como fatores positivos o fato de a bicicleta não ser poluente, ocupar pouco espaço e melhorar a saúde de quem opta por esse meio de transporte.

Já alguns comerciantes e outros moradores criticam o fato de que a ciclovia vai eliminar vagas para estacionamento, o que prejudicaria a frequência aos estabelecimentos e comprometeria a segurança do tráfego local. Apontam também que ciclovias em ladeiras como a Luís Góis não seriam atrativas e que teriam baixa movimentação, não justificando seu uso, além de criticar “falta de planejamento” na definição da via.

Os defensores do uso , entretanto, apontam não apenas que foram realizadas várias audiências públicas para debater a localização de ciclovias e ciclofaixas na cidade, como também o fato de que as pistas exclusivas pela bike têm seu uso ampliado conforme se popularizam e criam novos caminhos seguros pela cidade.

E ainda argumentam que o comércio pode ser beneficiado pela existência de uma ciclovia.Além de facilitar o acesso das pessoas do próprio bairro por meio de transporte mais barato, acreditam que a clientela terá mais facilidade de estacionar usando as bikes do que quando vão de carro, já que muitas das vagas de estacionamento ficam ocupadas o dia todo pelos mesmos veículos, muitos deles que apenas moram ou trabalham nas proximidades, nem mesmo seriam clientes.

Segundo a CET, a ciclofaixa da Rua Luís Góis terá pista nos dois lados do corredor Jabaquara/Domingos de Morais, com um quilômetro de extensãoentre a Ricardo Jafet e a Domingos de Morais e 1,3 km entre a Domingos de Morais e a Av José Maria Whitaker.

A CET informou que a ampliação da malha tem como objetivo tornar a bicicleta uma alternativa de transporte viável, segura e saudável para toda a população e que o Plano Cicloviário proporciona a integração da malha aos demais modais de transporte, como ônibus, trem e metrô. Nos próximos anos, a Prefeitura irá construir, nesta gestão, mais 300 km de ciclovias e ciclofaixas. O objetivo é aproximar a malha cicloviária de São Paulo dos 1000 km de extensão.

Advertisement
2 Comentários

2 Comments

  1. Luis renato Silva

    27 de fevereiro de 2021 at 0:14

    Se a ciclofaixa da Luis Góis gerou polêmica imagina se Vocês entrevistarem os moradores do Pq.Jabaqura sobre sa ciclofaixa feita na Av,Pedro Bueno em que a sub prefeituras jabquara r stºAmaro não tiveram competência sw cortarem as raÍzes dsa enormes “Seringueiras”e aumentarma a largura da pintura das ciclofaixas!

  2. Christian

    28 de fevereiro de 2021 at 21:01

    Excelente, como bem dito, foram 10 audiências para a definição dessa via, portanto não há o que reclamar. Quanto a vagas de estacionamento, acredito que como sociedade, já entendemos que o espaço público deve ser ocupado pela população em veral, portanto não deve servir para deixar um bem privado parado sem uso e ocupado um espaço importante e cada vez mais resteito e disputado na cidade. Sobre o comércio é uma visão bastante equivocada, pois quem usa o carro para ir as compras prefere lugares com estacionamentos próprios, seja pela comodidade ou segurança, portanto é mais interessante prospectar novos clientes potenciais que a ciclovia vai proporcionar, bastando disponibilizar vagas para bicicletas, vale lembrar que o cliente ciclista compra em quantidades reduzidas, porém com maior frequencia, trazendo oportunidade para os comerciantes de vender um algo mais que o cliente não pensou em comprar num primeiro momento. Apesar dos supermercados e outros estabelecimentos maiores terem preços mais atraentes, muitos consumidores preferem comprar no comércio local para ganhar tempo e obviamente esse consumidor se locomove a pé e pode agora com a implantação da ciclovia pensar em utilozar um meio mais ágil para essas compras de bairro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados