Jornal São Paulo Zona Sul

Largo Ana Rosa está em reforma

O Largo Ana Rosa é um endereço conhecido, central na Vila Mariana. Mais do que isso, tem história. Só que, nos últimos anos, tornou-se um ponto degradado, constantemente sujo, alvo de repetidas queixas da comunidade. Há solução?

Na segunda, 25 de novembro, começou ali uma reforma que terá como objetivo, essencialmente, inserir o Largo na paisagem local. “Quando alguém olha para o Largo Ana Rosa do lado de fora, não vê o outro lado. Isso desestimula o uso do espaço”, observou o secretário das Subprefeituras, Alexandre Modonezzi, em recente entrevista ao São Paulo Zona Sul.

Para ele, praças e áreas públicas com essas características acabam se assemelhando a “esconderijos” e não atraem pedestres ou pessoas interessadas em fazer um lanche, ler um livro, descansar.
O Largo ainda tem outros problemas, causados, surpreendentemente, por quem deveria cuidar dele. O despejo irregular de lixo é feito por comerciantes das redondezas para evitar a obrigatória contratação de coleta particular.

A ocupação por pessoas em situação de rua, que também causa muitas queixas da vizinhança, é ainda um aspecto social difícil de equacionar.

Agora, com a reforma, haverá abertura de uma rampa acessível na Rua Domingos de Morais, exatamente para facilitar o acesso à praça e incentivar o uso do espaço como rota de passagem. Haverá, ainda, reparos no piso, melhoria dos canteiros, um novo paisagismo e plantio de árvores. Perto da nova rampa acessível, será instalado um contêiner para coleta de materiais recicláveis em parceria com a Casa So+Ma.

“A revitalização do Largo Ana Rosa é uma demanda antiga dos moradores da região. Nosso objetivo é promover a ocupação do local com feiras e até eventos de outra natureza. A ocupação inibe o uso inadequado e a degradação dos espaços públicos”, afirma o subprefeito da Vila Mariana, Fabricio Cobra Arbex.

O Largo também tende a ganhar nova movimentação em breve, já que o terminal de ônibus ali existente foi concedido pelo Governo do Estado para exploração por empresa privada que poderá construir, por exemplo, um edifício de escritórios sobre o terminal.

Histórico

O Largo Ana Rosa tem esse nome porque, no final do século XIX, ali funcionava uma das sedes do Instituto Ana Rosa, entidade que existe até hoje.

Na década de 1920, o Instituto foi usado como cozinha para as tropas e hospital para os feridos na Revolução de 1924 e, por isso, foi bombardeado pelas tropas que atacavam São Paulo. Fotografias da época mostram a fachada com as marcas das balas de canhão, que, felizmente, fizeram pouco estrago.

O Instituto, atualmente, fica na Vila Sonia, A mudança aconteceu porque, ao final da década de 1940, o terreno em que se encontrava se valorizara muito e motivou a decisão da diretoria de vender a sede para ajudar na manutenção financeira da entidade.

O prédio do largo Ana Rosa foi demolido em 1950, e no seu lugar o Banco Hipotecário Lar Brasileiro construiu uma série de pequenos prédios de três e quatro andares, que chegavam quase até a atual rua Topázio, na Aclimação.para condicionamento físico.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!