Jornal São Paulo Zona Sul

Imóvel de ambulatório de Ortopedia da Unifesp na Vila Clementino foi cedido à Marinha

Vila Mariana, Moema, Saúde… Quem circula por esses distritos inevitavelmente já notou o ritmo frenético de novos empreendimentos imobiliários. Novas estações de metrô na Vila Clementino e em Moema, da Linha 5, Lilás, parecem ter acelerado ainda mais a procura por novos edifícios residenciais na área.

Paralelamente, vale apontar que essas regiões nobres e valorizadas, com o metro quadrado figurando entre os mais caros no mercado imobiliário paulistano, ainda concentram muitas áreas públicas, algumas delas cedidas há décadas para instituições privadas.

Uma delas fica na Rua Estado de Israel, 638. Ali, até 2009, funcionou o Clube Adamus, uma entidade esportiva que, em seus últimos anos, estava alugando o espaço para jogos de poker, festas noturnas em enlouqueciam a vizinhança e que ainda deixava sua antiga piscina cheia de água não tratada…

A Prefeitura, então, retomou o espaço e firmou novo convênio, com a Unifesp, que inicialmente criou ali um clube escola para funcionários e também aberto à comunidade local. Também foi instalado ali um o CETE-MEDICINA ESPORTIVA UNIFESP, que atende atletas pelo SUS.

Mas, a Prefeitura, por meio de projeto de lei do executivo, apresentou à Câmara de Vereadores em outubro um projeto de lei para ceder o espaço para a Marinha Brasileira, que tem a sede do Comando do DO 8º Distrito Naval ao lado do antigo Adamus.

A comunidade acadêmica se mobilizou para conseguir que fosse aprovada, na verdade, uma emenda cedendo o terreno, em definitivo, para o CETE.

O CETE atende, segundo a Unifesp, 700 consultas médicas mensais (diversas especialidades, principalmente ortopedia e medicina esportiva), 900 sessões de fisioterapia e média de 30 cirurgias mensais para atletas, pelo SUS e principalmente atletas carentes. Consta ainda com academia para condicionamento físico.

Atualmente, 225 profissionais de saúde (médicos. Fisioterapeutas e educadores físicos) estão em formação acadêmica, por meio de residência médica, pós-graduação e graduação. Conta ainda com uma estrutura destinada aos atletas Paraolímpicos e muitos atletas olímpicos também foram tratados no CETE, tais como, Maurren Maggi, Artur Zanetti, Jardel Gregório e muitos outros. Nos 20 anos de existência do CETE, foram realizadas mais de 6000 cirurgias, 50.000 sessões de fisioterapia e milhares de consultas pelo SUS.

O CETatende preferencialmente atletas, mas também a população em geral, pelo SUS, ou seja, gratuitamente.

Com o intuito de atender principalmente os atletas carentes, o CETE presta atendimento ambulatorial gratuito. No atendimento, o médico do esporte ou ortopedista do esporte tem à disposição a estrutura da universidade com equipamentos avançados para o diagnóstico de lesões esportivas. Já em nossos setores de Fisioterapia Esportiva, contamos com equipamentos de eletrotermofototerapia, máquinas de gelo, diversos equipamentos de cinesioterapia além de espaço suficiente para exercícios funcionais e de retorno ao esporte.

Lei aprovada

A lei acabou sendo aprovada em outubro, prevendo a transferência para a Marinha que tem plano de expansão para a sede local. Mas a mesma lei define a doação à Unifesp de um outro terreno na Rua Napoleão de Barros.

O vereador Police Neto (PSD), que é Conselheiro da Unifesp por indicação da Câmara Municipal, acompanhou de perto a situação e tentou evitar a doação. Ele conta que articulou a doação de dois terrenos da Prefeitura à universidade, incluídos na lei 17.216.
A área alvo de polêmica com a Marinha chegou a ser apresentada ao prefeito, mas ficou de fora da lista de doações à Unifesp.

“Buscando manter e qualificar o centro de medicina esportiva, estou articulando a oferta de dois novos terrenos do munícipio à Unifesp, ambos na Rua Diogo de Faria”, diz Police Neto. “Já apresentei a proposta ao líder do governo na Câmara, ao Secretário de Justiça e ao Subprefeito da Vila Mariana”, completa.

Já a Unifesp informou, nessa sexta, que a Lei recém aprovada, na verdade, permite à Prefeitura transferir esse terreno para a União. E aponta que está em conversação com a Marinha para definir como a União irá receber o terreno.

A universidade garante que não haverá paralisação das atividades e atendimentos e, no caso do terreno ser recebido pela Marinha, está sendo negociado um prazo para relocação das atividades em espaço novo adequado. A Universidade está avaliando as possibilidades de nova localização com as condições adequadas.

O ambulatório do CETE localiza-se na Rua Estado de Israel, 638. Vila Clementino.Para marcar consultas, o horário é das 09:00 às 16:00, de segunda à sexta-feira.Fones: 5082 3010 com Nice ou Rose.

2 comentários

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!