Jornal São Paulo Zona Sul

Governo adia volta às aulas para 7 de outubro

Em entrevista coletiva no início da tarde dessa sexta, 7 de agosto, o Governo do Estado anuncia que um possível retorno às aulas ocorrerá em 7 de outubro. Como o jornal São Paulo Zona Sul já havia antecipado na semana passada, a expectativa de retomada da atividade escolar em 8 de setembro era muito improvável porque apenas uma pequena parte do Estado de São Paulo se encontra na “fase amarela”, com menor risco de contágio do coronavírus – a maior parcela do território está na fase laranja e há ainda diversas regiões na fase vermelha. Assim, já se mostrava totalmente improvável que o Estado conseguisse progredir, inteiro, para a fase amarela a tempo de permanecer assim pelo período de 28 dias antes de 8 de setembro, conforme determinação do próprio Governo.

Ou seja, para que a previsão se confirmasse seria necessário que no dia 11 de agosto, um dia após a data em que a quarentena supostamente termina, todo o Estado esteja já na fase Amarela da quarentena. Isso significa que regiões ainda classificadas na fase vermelha teriam que progredir duas fases, com redução no número de casos registrados, óbitos e ocupação das UTIs de hospitais locais, em apenas dez dias…

Durante o anúncio de hoje, várias regiões que estavam em fase vermelha devem avançar, sim, duas fases e passam a ser classificadas na fase amarela. Mas há ainda regiões em fase laranja e Franca e o Vale do Ribeira devem ficar na fase vermelha.

Atividades parciais

A cidade de São Paulo, em tese, pelas regras do governo já estaria em condições para a retomada das aulas, mas o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, em recentes declarações já vinha dando sinais de que não seria autorizada a reabertura das escolas.

Na coletiva de hoje, há expectativa também de que seja anunciada uma autorização para que as cidades em fase amarela há 28 dias ou mais, como é o caso da capital, possam autorizar algumas atividades presenciais escolares, como aulas de reforço ou recuperação. Mas, a Prefeitura paulistana, por enquanto, tem se mostrado reticente e indica pesquisa mostrando que a maioria dos pais não quer a volta as aulas – ou antes de 2021 ou antes de uma vacina.

A quarentena em São Paulo terminaria em 10 de agosto, em princípio. Mas, o Governo deve anunciar nova data, com algumas alterações no esquema e também mudanças na classificação regional.

Ao menos cinco outras cidades que também estão na fase amarela já bateram o martelo: não vão retomar as aulas presenciais nesse ano e confirmaram que, independente da decisão da Secretaria de Estado da Saúde, só reabrirão as portas de escolas em 2021.

São elas: Santo André, São Bernardo do Campo, Mauá, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires. Por enquanto, o Governo informou apenas que esse tipo de decisão – de adiar a reabertura das escolas só para 2021 – cabe à cada cidade…

Na capital, os vereadores estão aprovando proposta de deixar a decisão sobre retomada ou não das aulas para os pais. Já entidades que representam o professorado são contra a volta às aulas e o Sindicato das Escolas Particulares defende o retorno rápido e não atrelado às escolas públicas (veja matéria).

 

Comentar