Siga-nos

Saúde

Gestantes e crianças devem se vacinar contra gripe

Publicado

em

Mais de dois milhões de pessoas procuraram postos de saúde e se vacinaram gratuitamente contra o vírus Influenza – a chamada vacina contra a gripe, na campanha federal que ocorre anualmente. O esforço concentrando em atingir a população mais suscetível ao vírus – que pode se desdobrar em situações mais graves como a pneumonia – começou em 17 de abril. Mas, especialmente gestantes e crianças não atenderam aos apelos dos profissionais de saúde no país e deixaram de tomar a vacina.

A baixa cobertura do público alvo fez com que o Governo Federal decidisse estender a campanha, que agora vai até 9 de junho, a próxima sexta. Quem integra os grupos prioritários pode procurar os postos de saúde para se imunizar gratuitamente.

No total, cerca de 61% do público-alvo foi imunizado, quando a expectativa era  a de atingir 90% do público-alvo. A menor cobertura está entre as gestantes, com 42,5% da meta, seguido pelas crianças, com 45%. Entre os idosos, a taxa de cobertura está em 72,3%.

Os grupos prioritários, definidos pelo Ministério da Saúde, integram trabalhadores da saúde (pública e privada), pessoas com 60 anos ou mais, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), crianças entre seis meses e menores de cinco anos, indígenas, pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais (mediante apresentação de carta com pedido do médico), professores das escolas públicas, privadas e população privada de liberdade (presídios e cadeias), funcionários do sistema prisional e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estejam sob medida socioeducativa.

Nas últimas semanas, foram incluídos policiais civis e militares, bombeiros, carteiros e funcionários do Poupatempo e Defesa Civil, além de agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

As únicas contraindicações da vacina são para pessoas com histórico de reação anafilática prévia ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer outro componente da vacina ou que apresentaram reação grave em doses anteriores da vacina.

Uma pequena parcela de vacinados pode apresentar dor discreta no local da aplicação, febre baixa, dores musculares e mal-estar em até dois dias após a aplicação.

A relação completa dos postos pode ser consultada pelo telefone 156 ou pelo site www.prefeitura.sp.gov.br/covisa.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados