Siga-nos

Transporte

Estudantes de escolas públicas terão passe livre em ônibus e metrô

Publicado

em

Para os ônibus, medida já passa a valer este ano. No caso do metrô, aprovação depende de deputados

Metrô e ônibus ficaram mais caros a partir desta semana em São Paulo. Depois dos protestos de junho de 2013 contra o aumento proposto à época, as tarifas permaneciam congeladas e o tema… proibido. A tarifa de ônibus em São Paulo custa R$ 3,00 desde 5 de janeiro de 2011. Segundo a Prefeitura, o novo valor, de R$ 3,50, tem reajuste inferior à inflação do período.
Agora, paralelamente ao anúncio do aumento, a Prefeitura anunciou também a isenção para estudantes de escolas públicas, inclusive faculdades desde que o alunos tenha renda familiar restrita a um salário mínimo e meio per capita. Alunos carentes de universidades particulares e que são beneficiados por programas como FIES e Prouni também ficarão isentos de pagar passagens em ônibus.
O passe livre valerá para 505 mil estudantes, sendo aproximadamente 360 mil alunos da rede pública e 145 mil matriculados na rede particular de ensino.
Já para o metrô, somente ontem o governo do Estado enviou à Assembleia a proposta de passe livre para estudantes de baixa renda. Ainda é incerto se a votação do projeto permitirá a isenção em 2015, já que os deputados só voltam a trabalhar em fevereiro. No caso da Prefeitura, a insenção de tarifa nos ônibus foi aprovada pelos vereadores ainda em 2014.
No município de São Paulo, o preço das passagens dos coletivos estavam congelados há quatro anos. Desde terça, 6, a tarifa básica de utilização dos serviços do transporte coletivo municipal será de R$ 3,50.
Já as tarifas do bilhete único nas modalidades mensal, semanal e diário (com validade de 24 horas) permanecerão congeladas nos valores atuais, vigentes desde a implantação dos benefícios pela atual administração, em 2013 e 2014. O diário custa R$ 10; o semanal R$ 38 e o mensal sai por R$ 140. Estudantes pagam meia.
O valor do bilhete único integrado com o Metrô e os trens da CPTM será de R$ 5,45. Com todas as gratuidades, incluindo o passe livre para os estudantes, o reajuste médio de tarifas ficou em 7,4%.
A Prefeitura promete passar a oferecer uma nova rede de transporte para os trabalhadores e estudantes que se utilizam dos ônibus na madrugada, com maior frequência e menos tempo de espera nos pontos.
Também estão previstos outros avanços como a implantação da recarga do bilhete único dentro dos ônibus e a entrega de mais de 1.000 ônibus novos na cidade, equipados com ar-condicionado e wi-fi, além de novas tecnologias.
Metrô, CPTM e EMTU
Foi enviado ontem, dia 9 à Assembleia Legislativa o projeto com a proposta de tarifa zero no sistema de transporte metropolitano – trens do Metrô e da CPTM e ônibus da EMTU – para todos os estudantes de escolas públicas do Estado, incluindo das universidades públicas e das Etecs e Fatecs. Alunos de escolas e universidades privadas que comprovarem baixa renda (até R$ 1.550 per capita) também serão beneficiados com a tarifa zero.
A concessão do benefício vai aproveitar cadastros já existentes de alunos para concessão de meia tarifa, entre eles o da EMTU e o da SPTrans, no município de São Paulo.
Também terão direito à tarifa zero alunos de baixa renda cadastrados em programas estaduais que dão bolsas a universitários, como o Escola da Família e o Ler e Escrever, e os federais Prouni e Fies.
A Secretaria dos Transportes Metropolitanos estima que cerca de 65% dos estudantes que usam CPTM e Metrô terão direito ao benefício.
A tarifa cheia do Metrô e da CPTM também passou de R$ 3 para R$ 3,50 na terça, 6, com reajuste de 16,67%, abaixo dos 17% de inflação acumulada desde o último reajuste que, no caso do Estado, ocorreu em fevereiro de 2012, ou seja, há quase três anos. Já nos ônibus da EMTU, a tarifa varia, mas nenhum valor subirá mais de 16,6%.
Com o reajuste de R$ 3,00 para 3,50 das tarifas dos ônibus municipais da capital e do sistema metroferroviário, o valor da integração entre os dois sistemas passa de R$ 4,65 para R$ 5,45.
O Metrô e a CPTM já oferecem tarifa zero para pessoas com deficiência e idosos. A gratuidade foi ampliada para pessoas com mais de 60 anos em julho deste ano (Lei15.187). Atualmente, qualquer estudante, da rede pública ou privada, já tem direito à meia tarifa e vai continuar com esse benefício.
O reajuste não irá impactar o trabalhador que recebe Vale Transporte.

 

Unifesp oferece cursinho grátis

Interessados devem se inscrever para prova de seleção até dia 15 de janeiro

O Cursinho Pré-Vestibular Jeannine Aboulafia (CUJA-Unifesp) está com processo de seleção aberto aos interessados em se submeterem à prova classificatória para o ingresso no curso extensivo de preparação para o vestibular. As aulas são ministradas de segunda a sexta-feira, das 18h50 às 22h30, e aos sábados, durante o dia.
Para participar da prova, deve ser feita a pré-inscrição no site www.cuja.unifesp.br/cuja até o dia 15/01/2015. Nos dias 14, 15 ou 16/01/2015, os pré-inscritos devem confirmar a inscrição pessoalmente das 13h às 20h, na Rua Pedro de Toledo, 840, Vila Mariana, São Paulo/SP.
Para a confirmação é necessário apresentar um documento com foto e o pagar uma taxa de R$ 5,00. No caso de menores de 18 anos, estes devem estar acompanhados por um responsável ou apresentar uma declaração do mesmo. A prova de seleção será realizada no dia 17/01/2015, às 13h.
Exigência: para poder participar do cursinho é preciso ter completado o 2º ano do Ensino Médio.
Mais informações podem ser obtidas através do site (www.cuja.unifesp.br/cuja) ou por e-mail (cursinho.cuja@gmail.com).
Sobre o CUJA
O Cursinho Pré-Vestibular Jeannine Aboulafia (CUJA) é um projeto de ação social vinculado à Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de São Paulo (PRAE/Unifesp) criado há 14 anos por graduandos e pós-graduandos da própria universidade, com o objetivo de auxiliar alunos oriundos de escolas públicas ou pertencentes a classes sociais menos favorecidas a ingressar no ensino superior.

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados