Siga-nos

Meio ambiente

Encontrou um animal silvestre? Saiba como protegê-lo

Publicado

em

Pode parecer difícil de acreditar, mas é comum que a população da capital encontre aves como garças, corujas e sabiás precisando de atendimento médico. Ou mamíferos como gambás, macacos e cachorros-do-mato. Até mesmo répteis, como o lagarto teiú, e serpentes. Atacados por cães, atropelados, vítimas de choques elétricos e feridos por linha de pipa, entre outros acidentes, os animais podem ter atendimento gratuito pela Divisão de Fauna Silvestre. E quem mora na região de Vila Mariana, Saúde ou Jabaquara tem a vantagem de poder recorrer à unidade localizada dentro do Parque do Ibirapuera.

Com quase 30 anos de existência, a Divisão de Fauna Silvestre já prestou mais de 100 mil atendimentos na capital. Nos últimos cinco anos, foram 6.250 de média. Um gavião-pega-macaco, vítima de um tiro em sua asa, foi o animal 100 mil atendido.

Também é possível encaminhar para a Divisão animais que estejam saudáveis. Nesses casos, deverá ser realizado um agendamento prévio pelos mesmos números de telefone, evitando assim aglomerações no Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres.

Nessa Fase Emergencial do Plano São Paulo, a divisão atende em casos de urgência e emergência (animais lesionados ou acidentados), entre em contato via telefone (11) 3885-6669 ou WhatsApp (11) 96715-5424.

A Divisão

A Divisão da Fauna Silvestre (DFS) possui duas unidades de atendimento e manejo No município de São Paulo, com sedes no Parque Anhanguera (CeMaCAS) e Parque Ibirapuera.

Criada em novembro de 1991 e regulamentada por lei de 1993, a Divisão inicialmente cuidava de animais pertencentes aos parques, como cisnes, gansos e marrecos. Atualmente, desenvolve ações de proteção e conservação da fauna silvestre com o objetivo principal de reabilitar os animais e devolvê-los à natureza. Cerca de 50% dos animais atendidos se recuperam e são soltos – a maioria aves (como garças, corujas e sabiás).

O trabalho dos biólogos e o atendimento veterinário realizados pela Divisão são importantíssimos para a conservação de várias espécies e vale ressaltar que não são aceitos animais domésticos, exóticos ou de criação.

O atendimento é exclusivo para animais silvestres e o recebimento deles é realizado no Ibirapuera de segunda a quinta, das 8h às 16h, e às sextas das 8h às 12h. No CeMaCAS, das 8h às 16h, aos sábados e domingos das 8h às 14h e feriados das 8h às 12h.

Atualmente, desenvolve ações de proteção e conservação da fauna silvestre do município, recebendo animais vitimados, orfãos ou oriundos de apreensões, em ações de combate ao tráfico.

O recebimento dos animais é realizado através de resgates ou apreensões pelas polícias ambientais e também pela entrega de animais por munícipes.

A Divisão da Fauna também realiza o Inventário da Fauna Silvestre do Município de São Paulo,
Quem quiser descobrir quais os animais silvestres existentes em cada parque da cidade, por exemplo, pode fazer o download gratuito do Inventário da Fauna Silvestre clicando aqui!

Entre todas as atividades desenvolvidas pela Divisão da Fauna, a que mais se destaca está relacionada ao atendimento veterinário com suporte laboratorial visando à recuperação dos animais silvestres vitimados na cidade de São Paulo.

O setor cuida não só do atendimento veterinário, como também da reabilitação, triagem e destinação de animais silvestres, devolvendo-os à natureza ou repatriando-os, quando sua origem está localizada fora do Estado.

A Divisão da Fauna Silvestre – Unidade Ibirapuera fica na Av. IV Centenário, Portão 7A Plantão: (11) 3885-6669 / (11) 96715-5424 (whats app). Email: faunasvma@prefeitura.sp.gov.br

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados