Siga-nos

História

EMIA: 35 anos ensinando aos pequenos o amor à arte

Publicado

em

Escola Municipal de Iniciação Artística fica dentro de parque no Jabaquara

Em 1980, um projeto piloto tinha por objetivo colocar o Jabaquara dentro do cenário paulistano. Era o projeto CURA – Comunidades Urbanas de Recuperação Acelerada. Nem tudo foram flores: muita área verde, que já vinha sendo loteada, definitivamente sumiu do mapa para dar lugar a avenidas e equipamentos públicos. A ideia era trazer serviços e avanços, facilitando o acesso ao bairro com novos projetos viários, incrementando a atividade empresarial no bairro, e implantando novas unidades municipais em diferentes áreas: foi assim que surgiu o Hospital Saboya, o Centro Cultural do Jabaquara e a EMIA – Escola Municipal de Iniciação Artística.
O que talvez muita gente não imaginasse, naquela época, é que a EMIA faria história, construiria sua própria trajetória.
A Escola de Artes para crianças de 5 a 12 anos tornou-se um sucesso – não só pela produção de alto nível, pelos ótimos professores em diferentes linguagens artísticas, como também pela repercussão.
Durante anos, pais faziam filas, acampando em frente à escola para conseguir conquistar uma vaga na escola que ensinava cultura e arte para seus filhos gratuitamente. Depois, o método evoluiu e as vagas passaram a ser sorteadas.
Por quase vinte anos, a escola ocupou apenas a Casa 03 do Parque Municipal Lina e Paulo Raia, ao lado da estação Conceição do metrô. As outras duas casas eram ocupadas pela Cinemateca Brasileira e seu acervo.
Mas, na década de 200 a Cinemateca se transferiu para o antigo Matadouro de Vila Mariana, onde está até hoje. E a EMIA pôde ampliar tanto os cursos quanto o número de alunos antedidos.
A Escola trabalha em várias frentes: Artes Visuais, Dança, Música e Teatro compõem o universo da escola, sendo que o pensamento da equipe artísticopedagógica é de que todas contribuam igualmente para o processo de formação dos alunos.
Presente
Mais do que isso, a EMIA expandiu sua interação com a comunidade, com o parque ao seu redor… Agora, para celebrar seus 35 anos de história, demonstra que integra o cenário cultural da cidade com força.
Já levou seus alunos a apresentações ao Teatro João Caetano, na Vila Mariana, e agora para celebrar sua história está em uma imensa exposição no Centro Cultural São Paulo. Os alunos-artistas se espalham pelos corredores do local, instigando visitantes e mostrando que sabem fazer arte!
As comemorações, na verdade, começaram há um ano. Vão ser concluídas em grande estilo com o lançamento de um livro – o primeiro deles -, a exposição, intervenções artísticas, oficinas para educadores e compartilhamento de processos artístico-pedagógicos.
No dia 30 de junho, às 19h, haverá lançamento do livro e do cd, seguidos da apresentação da Orquestra Infanto-juvenil, Coral da EMIA e Ex-alunos
Nos dias 5 e 7 de julho de 2016 serão oferecidas oficinas voltadas para educadores baseadas nas práticas artístico-pedagógicas realizadas na EMIA. As oficinas são destinadas a professores da rede pública de espaços de educação em geral, artistas pedagogos e interessados no tema.
No site www.emiasp.blogspot.com.br é possível encontrar o link para o formulário de inscrições.
Quer conhecer melhor este trabalho? A exposição “Emia Escola de Arte Casa de Crianças está em cartaz no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000). A EMIA fica no Parque Lina e Paulo Raia, ao lado da estação Conceição do metrô.

Foto 11

Trajetória da EMIA está contada em exposição em cartaz no Centro Cultural São Paulo. Escola tem sede no Parque Lina e Paulo Raia, ao lado da estação Conceição do metrô

Advertisement
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Divulgação relâmpago: Exposição da EMIA | Queridos livros & Tatianices

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados