Siga-nos

Ecourbis

Em outubro, comemora-se o Dia do Consumo Consciente

Publicado

em

Dia 15 de outubro é celebrado o Dia do Consumo Consciente. Em tempos de pandemia e de aumento da temperatura da Terra, com incêndios por todo planeta, é tempo de refletir e adotar mudanças de atitude para modificar esse cenário e permitir à natureza que possa se recuperar das agressões humana. O Instituto Akatu para o Consumo Consciente elaborou uma orientação em cinco passos para que possamos ter uma nova postura cotidiana. Confira

Evite o desperdício de alimentos

Atualmente, 8% das emissões de gases de efeito estufa do mundo originam-se da perda ou do desperdício de alimentos. Se o desperdício de alimentos fosse um país, ele seria o 3º maior emissor de GEE do mundo (3,3 GtCO₂e por ano), atrás somente dos Estados Unidos (5,8 GtCO₂eq) e da China (10,7 GtCO₂eq).

Faça a sua parte planejando o cardápio e indo às compras com uma lista para levar para casa só o necessário. Adote o hábito de armazenar os ingredientes considerando a data de validade, para não correr o risco de perdê-los, e adote receitas que façam o uso integral de alimentos.

Compre um item novo só se for necessário

A fabricação de produtos envolve extração, processamento e transporte de matérias-primas, etapas que emitem GEE. A produção de um único par de calçados, por exemplo, emite 10 kgCO2eq, o equivalente às emissões para gerar energia suficiente para o funcionamento de 50 máquinas de lavar ao longo de um ano inteiro (considerando 8 ciclos por mês).

Antes de decidir pela compra de um novo produto, reflita se você realmente precisa dele. Você também pode optar pelo conserto do item que possui ou, se for possível, pela compra de um item de segunda mão, que não vai exigir novas emissões relacionadas à sua produção.

Apague as luzes ao sair

A produção e o consumo de energia elétrica são responsáveis por uma parcela significativa das emissões anuais de GEE do Brasil: 28% do total. E em 2019, elas foram 7% maiores do que as de 2018.

Você pode ajudar a reverter esse cenário adotando o hábito de privilegiar a iluminação natural, de apagar as luzes ao sair de um local e de substituir lâmpadas fluorescentes comuns por LED, cujo consumo é cerca de 30% menor. Para facilitar a comparação, o consumo de energia de 2 lâmpadas fluorescentes comuns (de 10W cada) equivale ao consumo de 3 lâmpadas LED.

Reduza o consumo de carne bovina

A maior parte das emissões de GEE brasileiras estão ligadas ao desmatamento e às mudanças no uso do solo (44%), seguidos da agropecuária (25%). Infelizmente, esses números tendem a aumentar, visto que vivenciamos uma onda de recordes no desmatamento: entre agosto de 2019 e julho de 2020, a Amazônia sofreu um aumento de 34% no desmatamento em comparação ao mesmo período dos anos anteriores; em 2019, o Cerrado perdeu mais de 408 mil hectares de vegetação nativa, correspondendo a 33,5% do total desmatado no país no ano; e o Pantanal, por sua vez, teve neste primeiro semestre de 2020 a maior área sob alerta de desmatamento dos últimos cinco anos.

Ao substituir a carne bovina por outra fonte proteica (frango ou leguminosas, como lentilhas, feijões, ervilhas e grão de bico) uma ou mais vezes por semana, você poupa as emissões de gases de efeito estufa relacionadas à produção da carne, combatendo a Crise Climática. Enquanto a produção de um 1kg de carne bovina emite 27 kgCO2e, a de 1kg de frango emite quase 4 vezes menos (6,9 kgCO2e) e a de 1kg de feijão, quase 14 vezes menos (2 kgCO2e).

Escolha meios de transporte com menos impacto

Das emissões correspondentes ao setor de energia, 49% estão relacionadas ao transporte. E modais movidos a combustível fóssil, como a gasolina, emitem cerca de 25% mais CO2 na atmosfera do que os que utilizam etanol produzido a partir da cana de açúcar.

No caso de percursos curtos, prefira caminhar: faz bem à saúde e é livre de emissões de GEE. Em percursos médios, tente usar meios de transporte que não dependam da queima de combustíveis, como as bicicletas e os patinetes. E quando o carro for necessário, prefira os movidos a combustíveis renováveis, se isso for uma opção.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados