Siga-nos

Educação

Criação de Centro Cultural em Saúde na Vila Clementino está atrasada

Publicado

em

A antiga Biblioteca de Referência Médica da Unifesp (Bireme), um dos mais importantes acervos de medicina do hemisfério sul, vai ser transformada em Centro Cultural em Saúde. Depois da reforma, dará espaço não apenas ao acervo de livros e revistas (com quase um milhão de títulos), mas a ambientes de exposição e divulgação científica, novas áreas de consulta e estudo, um auditório, café e livraria, tornando-se um Centro Cultural com objetivo de fomentar o interesse e o debate nos temas de saúde e bem-estar da população.

O local também irá abrigar acervos como os do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde (CEHFI) e do Projeto Xingu, além de atividades do recém-criado Instituto de Estudos Avançados e Convergentes da Unifesp (IEAC).

A reforma incluirá todas as infraestruturas para climatização adequada, proteção contra incêndios e acessibilidades, com modernização completa da rede elétrica e de computadores.

A obra tem valor contratado de R$ 14,5 milhões de reais, e a captação em 2018 atingiu R$ 4,1 milhões, com previsão de valor igual ou superior para 2019. O cronograma para a execução das atividades era de 12 meses, mas a pandemia atrasou os planos – a obra foi interrompida em março.

Essa semana, a Unifesp divulgou nota explicando que os trabalhos foram retomados em agosto e indicando o atual andamento.

Confira a nota:

As obras da reforma da Biblioteca do Campus São Paulo, futuro Centro Cultural em Saúde da Unifesp, que contam com recursos captados pela Lei Rouanet, estão em andamento, representando um grande avanço para a instituição e para sociedade.

A obra havia sido suspensa, temporariamente e de forma planejada, no final de março, devido à pandemia e à necessidade de garantirmos o cumprimento dos protocolos para seu enfrentamento, agora bem estabelecidos, visando à preservação da saúde dos servidores da instituição e dos trabalhadores da empresa contratada.

Nesse período, foi concluída a transferência do mobiliário e da equipe da biblioteca para outros imóveis do campus, de forma que as obras, retomadas em agosto, estão sendo executadas com segurança.

A iniciativa de utilização da Lei Rouanet é inédita na história da Unifesp e foi planejada e obtida por ação de sua Pró-Reitoria de Planejamento.

A Fundação de Apoio à Unifesp – FapUnifesp assumiu a interveniência, e a captação é coordenada por Grupo de Trabalho que conta com a participação de representantes do Campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina, Escola Paulista de Enfermagem, Reitoria e FapUnifesp.

O GT de captação desenvolve um trabalho integrado e dedicado, continua empenhado na busca por novas captações e as perspectivas são promissoras, o que permitirá um ritmo acelerado em 2021.

Direção do Campus São Paulo – Pró-Reitoria de Planejamento – Direção da FapUnifesp

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados