Siga-nos

Coronavírus

Como será o “megaferiado”?

Publicado

em

Operação descida foi cancelada, rodízio alterado e há barreiras em cidades do interior e litoral

 

A cidade de São Paulo e várias outras da região metropolitana vão passar por dez dias de feriados, por conta da antecipação de datas comemorativas municipais a partir dessa sexta, 26. O objetivo principal é reduzir a circulação de pessoas e, dessa forma, conter a disseminação da Covid 19. Registros oficiais dão conta de que 100 mil pessoas estão se infectando por dia no país e cerca de 3 mil chegam a óbito – mas especialistas acham que o ritmo do contágio é ainda maior. Só no Estado de São Paulo, há atualmente 30 mil pessoas internadas em tratamento da doença.

Com a suspensão de atividades comerciais exceto em setores essenciais, o temor é que muita gente faça opção por viajar. Mas, vale destacar que diversas escolas particulares optaram por não suspender as aulas, já que alunos e professores estão participando das aulas já de suas casas, sem circulação pela cidade. Até porque, dos cinco feriados antecipados no município, três não seriam em dias letivos – 25 de janeiro é celebrado durante as férias escolares e o Dia da Consciência Negra 2021 e 2022 acontecem no final de semana.

Atenção também para a mudança na regra do Rodízio de Veículos, que até dia 4 de abril acontece no horário coincidente ao horário do Toque de Recolher, ou seja, das 20h às 05. Na data da placa proibida, os carros podem circular normalmente entre 7h e 10h, 17h e 20h, mas não podem circular entre 20h e 05 na virada para o dia seguinte. A regra não vale para caminhões.

Viagens

A tradicional Operação Descida que amplia as faixas para circulação de motoristas no sistema Anchieta Imigrantes, aos finais de semana, foi suspensa pela primeira vez desde que foi criada, há 23 anos.

Ao menos cinco cidades da Baixada Santista implementaram barreiras sanitárias em suas entradas para tentar evitar a disseminação da covid-19 na região. Os nove municípios que compõem a baixada estão em lockdown desde a última terça-feira (23) até 4 de abril. Até esta data, a partir de sexta-feira (26), a capital paulista terá uma emenda de dez dias que não serão úteis, resultado da antecipação de feriados pelo prefeito Bruno Covas.

Em Santos, barreiras sanitárias estão sendo realizadas na entrada do município, no bairro Saboó, desde ontem (24). O objetivo da ação, feita com apoio da Polícia Militar e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), é impedir a entrada de vans, micro-ônibus, ônibus de turismo e carros de passeio com placas de fora da cidade para turismo, a fim de tentar evitar a propagação da covid-19.

A prefeitura informou que motoristas de carro de passeio que comprovarem a necessidade de trabalho ou consulta médica em Santos são autorizados a entrar no município. O primeiro dia de bloqueio sanitário em Santos resultou na abordagem de 250 veículos na barreira. Desses, dez motoristas tiveram que retornar para suas cidades de origem por não comprovarem a necessidade de entrar em Santos.

A prefeitura de Guarujá informou a implementação de barreiras para controlar os acessos à cidade a partir também da última quarta-feira (24). O acesso será livre aos veículos cujos ocupantes comprovem domicílio no município, e não apenas ocupação eventual. Também terão passagem liberada os veículos em comprovado exercício de atividades essenciais como segurança pública, saúde e assistência social, além dos motoristas que estiverem transportando alimentos, combustíveis e outros insumos indispensáveis para o abastecimento local.

As barreiras funcionarão 24 horas e estão montadas em seis pontos, tanto nas entradas do município quanto nas travessias de balsas de Santos e de Bertioga. Caso o condutor se recuse a retornar ao seu local de origem, o veículo poderá ser removido ao Pátio Municipal, podendo ser conduzidos também ao Distrito Policial para registro de boletim de ocorrência.

Em Bertioga, a prefeitura deu início, na última terça-feira (23), aos bloqueios que controlam o acesso à cidade em três entradas principais, com objetivo de fiscalizar o cumprimento das medidas de lockdown. Além disso, a prefeitura instalou manilhas de concreto e faixas de sinalização nas demais entradas da cidade. Segundo o município, as pessoas que burlarem as barreiras serão multadas, por meio das câmeras de monitoramento 24 horas.

O município de Praia Grande divulgou que suas barreiras têm como foco orientar motoristas de veículos com placas de municípios de outras regiões para que retornem para a cidade de origem e cumpram em suas residências esse período de medidas ainda mais restritivas. Está suspensa em Praia Grande a emissão de autorização para o ingresso de veículos de turismo.

Na primeira barreira,  um veículo com placa de São Paulo foi parado por um dos agentes de trânsito e foi constatado que o motorista estava com diagnóstico de covid-19, levando consigo inclusive uma sacola com medicamentos. O motorista foi orientado sobre as restrições de acesso a Praia Grande e retornou para sua cidade. A ação continuará ao longo dos próximos dias.

Veja em nosso site, mais informações: jornalzonasul.com.br

A prefeitura de São Vicente informou que realiza, a partir de hoje (25), barreiras para orientações dos motoristas. Aqueles que descem a serra serão informados sobre as restrições em vigor em toda a Baixada Santista, incluindo a suspensão de atendimento em diversos setores comerciais, circulação de pessoas permitida apenas com justificativa, conforme estabelecido em decretos municipais, interdição das praias, entre outras medidas definidas regionalmente como forma de conter o avanço da covid-19.

Em Peruíbe e Itanhaém, as prefeituras informaram que não houve ainda a instalação de barreiras. Com as prefeituras de Cubatão e Mongaguá, a reportagem não conseguiu contato.

Campinas

A cidade de Campinas vai implantar, a partir desta sexta-feira (26) até 4 de abril, barreiras sanitárias nos principais acessos à cidade. A medida tem o objetivo de reduzir a circulação de pessoas de fora da cidade durante o feriado prolongado na capital paulista. De acordo com o prefeito, Dário Saadi, os 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas também farão barreiras sanitárias nas entradas das cidades.

Em Campinas, os pontos de bloqueio serão itinerantes e realizados durante todo o dia. “Quem for parado nas barreiras será questionado se o deslocamento é mesmo essencial e serão orientadas a evitar se transitar entre as cidades. As que não tiverem justificativa serão orientadas a voltar para a sua cidade de origem”, explicou Saadi.

O município ressaltou que não se trata de um lockdown, mas uma restrição com foco na conscientização das pessoas. Neste primeiro momento, não haverá penalidades. Além disso, não haverá bloqueio para ônibus intermunicipais.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados