Jornal São Paulo Zona Sul

Centro Esportivo Mané Garrincha recebe mutirão de revitalização

Ninguém que participava do mutirão de revitalização do Centro Esportivo do Ibirapuera – Mané Garrincha, que aconteceu na última sexta-feira, 3 de maio, parecia conhecer com precisão o histórico do tradicional espaço de prática de esportes e lazer da zona sul paulistana.

Mas, o espaço que conta com piscinas, quadras e ginásio coberto, oferece inúmeras atividades e cursos gratuitos, já é cinquentenário. Aliás, em abril havia completado exatos 54 anos: foi fundado em 4 de abril de 1965 – pouco tempo depois da própria criação do Parque do Ibirapuera, que é de agosto de 1954.

O mutirão de revitalização pretende garantir serviços básicos de manutenção, como uma nova pintura, limpeza geral, varrição, troca de lâmpadas e o corte da grama, inclusive com participação de usuários, que trabalham como voluntários.

O Programa, batizado de “Seu Clube, Nosso Bairro” foi inaugurado no CE Mané Garrincha e deve se espalhar pelos outros 48 clubes da cidade. No evento de abertura dos mutirões, até o prefeito Bruno Covas pintou trechos de uma parede, acompanhado pelo secretário de Esportes Carlos Bezerra Júnior.

Enquanto caminhavam pelo Centro Esportivo, entretanto, eles ouviam reivindicação de usuários, especialmente de grupos de mulheres que participam de várias atividades ali. Uma das mais ativas era dona Helena Maria Cipriano, de 90 anos. Ela participa do grupo de “Longevos” do CE Mané Garrincha, que reúne só atletas acima de 80 anos.

“Já participei de provas de natação, faço ginástica, tai chi chuan”, relatava a animada participante que, como as demais, defende um Centro Esportivo bem tratado para conseguir desenvolver atividades com qualidade.

Mais do que isso, a atração de grupos diversos de participantes garante que haja investimentos não só de manutenção como na equipe de professores das diferentes modalidades oferecidas, organização de eventos e competições etc.

“Assim como na questão dos viadutos, percebe-se que sempre houve preocupação em inaugurar novos equipamentos, mas não em fazer a manutenção do que já existe”, avaliou o prefeito Bruno Covas durante a visita. Ele acredita que os mutirões vão garantir o funcionamento mínimo do que já existe na cidade, mas admite que há problemas acumulados por conta de anos de descaso.

Um exemplo é uma das piscinas do próprio C. E. Mané Garrincha. Duas das piscins, incluindo uma semi olímpica, estão funcionando. Mas a tradicional “piscina feijão”, como era conhecida a maior e mais adequada para o uso infantil, está desativada e sem previsão de recuperação.

O equipamento apresenta rachaduras, infiltrações e o custo para recuperação seria muito alto. Pode ser que seja transformada em pista de skate, relatavam funcionários da Secretaria Municipal de Esportes, diante de olhares de reprovação das usuárias mais tradicionais.

O prefeito, entretanto, prticamente descartou a possibilidade de privatizar ou fazer concessões dos Centros Esportivos. “Todas as atividades são gratuitas, não pode haver cobrança de ingressos ou mensalidades, então dificilmente haverá interesse por parte da iniciativa privada. Mas podemos estudar parcerias com Organizações da Sociedade Civil”, disse Covas. O prefeito ainda apontou que a meta é revitalizar ao menos 70% dos Centros Esportivos da cidade.

O Centro Esportivo Mané Garrincha oferece mais de 20 atividades diferentes para seus usuários em seus 40 mil metros quadrados, que contam com quadras de tênis, 2 piscinas, 1 ginásio com arquibancada, 3 sls de ginástica, uma de musculação e outra de artes marciais.

Veja aqui as modalidades e grade horária

Fica na Rua Pedro de Toledo, 1651, ao lado da estação AACD Servidor e funciona de terça a domingo das 9 às 17 horas.

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!