Jornal São Paulo Zona Sul

Casa das Rosas passará por obras de restauro em 2020

A Casa das Rosas – espaço literário com saraus, trocas de livros, recitais, cursos de literatura e outras atividades para os amantes das letras – é procurada por pessoas de toda a cidade. Mas, sem dúvidas, atrai especialmente moradores de bairros próximos como a Vila Mariana e o Paraíso.

Agora, o amante do espaço, entretanto, vai ter que se reorganizar para conferir as atividades. O imóvel do museu Casa das Rosas será restaurado em 2020. As obras do espaço instalado no casarão conhecido como um dos principais símbolos turísticos e de preservação da memória da capital paulista serão iniciadas no primeiro semestre e terão 80% de seu valor total custeado por recursos obtidos junto ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça.

O projeto de restauro foi inscrito e selecionado para receber o investimento, que devolve à sociedade valores arrecadados em decorrência de multas, acordos e condenações judiciais. Os outros 20% serão custeados pelo Governo do Estado. A obra tem custo total de R$ 4,2 milhões e previsão de realização em dois anos.

O projeto será executado pelo Departamento de Obras da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e tem como objetivos principais recuperar as características originais do imóvel construído na década de 1920 e aprimorar sua funcionalidade como espaço público de cultura.

“A crescente visitação e o restauro do museu são exemplos claros de que a parceria entre os governos e a sociedade civil só tendem a beneficiar a sociedade que pode ter acesso a serviços com alta qualidade, tanto do ponto de vista da programação quanto da preservação do espaço, afirma o diretor executivo da Poiesis, Clovis Carvalho.

Instalado no casarão conhecido como um dos principais símbolos turísticos e de preservação da memória da capital paulista, a Casa das Rosas completou 15 anos em dezembro, contabilizando cerca de 447.809 visitantes em 2019.

Durante o período de restauro, os objetos abrigados no museu, inclusive seu acervo museológico, serão devidamente acondicionados em reserva técnica, e o acervo bibliográfico Haroldo de Campos permanecerá preservado e à disposição dos pesquisadores em ambiente preparado para esse fim no edifício da Poiesis, localizado no Bom Retiro (Rua Lubavitch, nº 64), centro de São Paulo.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!