Siga-nos

Cultura

Barroca Zona Sul conquista primeiro lugar no Grupo I

Publicado

em

A Barroca Zona Sul é a escola mais tradicional da região e se orgulha de ter desfilado na elite do samba paulistano por muitos anos. Entretanto, a agremiação vem sofrendo nos últimos anos para apresentar um desfile que agrade aos jurados… No ano passado, a escola, ao desfilar pelo Grupo de Acesso no Sambódromo, ficou entre as últimas posições e foi novamente rebaixada: saiu da Liga das Escolas Paulistanas e passou para o Grupo I da União das eScolas de Samba Paulistanas, a UESP.

O desfile aconteceu na madrugada de segunda para terça, por volta de 2h40 quando a Barroca levou ao sambódromo seu samba enredo “Da riqueza das águas à multiplicação do amor. A maravilha da pesca”.

O Grupo I é a principal  principal divisão da UESP. Da apresentação da segunda feira, participaram doze agremiações em busca de uma vaga no Grupo de Acesso, com abertura pelo Afoxé Ile Ache Omo Ode. Depois, veio outra escola com origem no Jabaquara, a Flor de Liz.

Uma única escola – a campeã da categoria – seria elevada para o Grupo de Acesso em 2018.

E a vitória veio por 0,6 de diferença: a Barroca alcançou 269,2 pontos contra 268,6 da vice campeão Mocidade Unida da Mooca. Já a Flor de Liz e Prova de Fogo foram rebaixadas para o Grupo 2.

Histórico

A Barroca Zona Sul surgiu no início da década de 1970 na Vila Mariana, bairro onde vivia o sambista Sebastião Eduardo do Amaral, conhecido como “Pé Rachado”, que era o presidente da Vai-Vai, escola do bairro do Bixiga.Após abandonar sua escola, Pé Rachado passou por Nenê de Vila Matilde e Camisa Verde e Branco. Mas, era também amigo pessoal do carioca Carola e, no Rio, desfilava pela Estação Primeira de Mangueira.

Conta-se que Pé Rachado teria sido incentivado por Cartola a montar uma Escola de Samba Verde e Rosa paulistana e foi assim que surgiu, em agosto de 1974, a Barroca Zona Sul. O nome “Barroca” seria uma referência ao Campo Barroca, do time de futebol Portuguesinha da Vila Mariana

Depois de vários altos e baixos em sua história, a Barroca já esteve recentemente no Grupo I. Em 2015, foi campeã pelo Grupo e voltou ao Grupo de Acesso, mas já em 2016 ficou entre as últimas colocadas e caiu novamente.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados