Siga-nos

Ecourbis

Arroz é o alimento mais desperdiçado no Brasil

Publicado

em

A ONU Meio Ambiente relembra: quando “jogamos fora” alimentos, não estamos apenas desperdiçando aquele item em si, mas também toda energia usada para sua produção, embalagem e transporte.

Durante a pandemia, o aumento no valor dos alimentos em supermercados chamou a atenção dos brasileiros, com especial destaque para o arroz.

É no mínimo curioso pensar, portanto, que o alimento mais desperdiçado no país, já há muitos anos, é justamente o arroz. E não só ele: carne vermelha, frango, feijão e leite também acabam na lixeira das famílias e restaurantes brasileiros, em quantidades impressionantes.

Na casa das famílias brasileiras, arroz, carne vermelha, feijão e frango são os alimentos mais jogados fora, segundo a Secretária de Articulação Institucional e Cidadania do MMA, Rejane Pieratti. Ela explica que planejamento é fundamental para se evitar o desperdício.

Pesquisa realizada há dois anos pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, mostrou que o desperdício médio de uma família brasileira de três pessoas pode superar um salário mínimo por ano. O estudo levou em conta apenas gastos residenciais, sem levar em conta restaurantes. E não está nessa conta o gasto com água e gás, no preparo dos alimentos, o que pode elevar o valor.

Em média, são 128 quilos de alimentos por ano, mais de . Os produtos mais perdidos são arroz – 28,33kg -, carne, com 25,76kg, feijão, com 20,60kg, frango, com 19,32kg, e leite, com 5,15 litros anuais.

Será que o alto preço vai fazer o brasileiro mudar essa atitude? Ou a preocupação com a excessiva produção de resíduos?

Em muitos lares, a justificativa de que a quantidade que sobrou não seria suficiente para uma nova refeição.

De acordo com o Instituto Akatu para o Consumo Responsável, além disso, os brasileiros têm certa “aversão” às sobras e preferem jogá-las no lixo ao invés de elaborar novas receitas que permitam seu reaproveitamento. Essa prática, além de ser ruim para o bolso, traz grandes impactos negativos ao meio ambiente se repetidas por um longo período de tempo.

O Instituto aponta que, em sua produção, o arroz representa a emissão de 2,7 quilos de dióxido de carbono equivalente (kgCO2eq) por quilograma de arroz produzido.

Se uma família de quatro pessoas desperdiçar 100 gramas de arroz (o equivalente a quatro colheres de sopa) semanalmente, ao final de um ano terá descartado mais de 5 quilos desse alimento. Com isso, será causada uma emissão de 6,4 kgCO2eq associada à produção do alimento desperdiçado. Essa quantidade é similar à emitida na geração de energia elétrica suficiente para manter duas lâmpadas de LED acesas todos os dias, 4 horas por dia, ao longo de dois anos e meio.

As duas principais dicas para evitar esse desperdício de dinheiro e agressão ao meio ambiente são três:

– Procure cozinhar somente o necessário, a medida certa para o número de pessoas e refeições que aquele arroz vai atender.

– Transforme o arroz que sobrou em novas receitas, como arroz de forno, arroz com legumes, arroz frito, bolinhos de arroz e sopas. A internet ou amigos podem compartilhar boas ideias

– Junte as pequenas sobras, congelando-as em um único pote. Quando houver quantidade suficiente, descongele ou misture a um “novo” arroz em quantidade menor, de forma a complementar a receita.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados