Jornal São Paulo Zona Sul

Americanópolis agora tem Centro de Convivência Intergeracional da Aldeia do Futuro

Imagine em um só espaço crianças frequentando creche e escola, adolescentes fazendo teatro, adultos aprendendo novas habilidades em oficinas e idosos contando suas histórias? Essa troca entre gerações pode ser positiva? Foi acreditando nisso que a Aldeia do Futuro, Organização da Sociedade Civil com sede em Americanópolis, na região do Jabaquara, propôs a criação de um Centro de Convivência Intergeracional à Prefeitura, a partir da ampliação dos convênios que a entidade já mantinha com a municipalidade.

A ideia foi adiante e na sexta, 20, foi inaugurado o novo espaço, que é um Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) para crianças, jovens, adultos e idosos, que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

O prefeito Bruno Covas e o subprefeito do Jabaquara, Arnaldo Faria de Sá participaram da inauguração,  juntamente com a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos e Cidadania, Berenice Giannella.

“Um espaço intergeracional, voltado para jovens, adultos e idosos, ajuda ainda mais na aproximação entre essas pessoas e a sociedade. É uma solicitação que surge da própria entidade parceira. E isso é muito importante porque grande parte do trabalho que é feito na área de assistência social é feito com entidades parceiras”, afirmou o prefeito Bruno Covas.

“É responsabilidade do poder público que é compartilhada. E a gente consegue fazer muito mais graças a essas parcerias. Sem elas, certamente não teríamos a capilaridade de atuar em todos os cantos, nos mais variados temas”, acrescentou Covas.

Aldeia do Futuro

O espaço está sob administração da Organização de Sociedade Civil (OSC) Aldeia do Futuro – Associação para Melhoria da Condição da População Carente e dispõe de 120 vagas para pessoas de diferentes idades, a partir de 06 anos.

A programação do equipamento inclui oficinas socioculturais, atividades de artes e sustentabilidade para as crianças, além de brincadeiras, jogos e teatro.

Os adolescentes têm acesso ao curso de informática e práticas esportivas. Monitoria de recreação infantil e curso de auxiliar de eventos são direcionados ao público adulto e para a terceira idade são oferecidas oficinas de artesanato, aulas de ginástica e dança de salão.

Todas as faixas etárias participam das atividades intergeracionais como: rodas de conversas, teatro coletivo, oficinas de cidadania conjunta e piquenique mensal.

Além disso, o atendimento engloba encaminhamentos para outras políticas públicas, por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Jabaquara.

O serviço é direcionado para indivíduos, de diferentes faixas etárias, pertencentes às famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e em diferentes situações de vulnerabilidade e risco social, como por exemplo, por deficiências, egressos de medidas de proteção do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), situação de rua, entre outros.

Na verdade, atualmente, já existem outros 15 CCInter’s localizados nas Subprefeituras das regiões Cidade Tiradentes, Perus, Cidade Ademar, Campo Limpo, Jaçanã/Tremembé, M’ Boi Mirim (2 unidades), Freguesia/Brasilândia (2 unidades), Jabaquara/Parelheiros, Sapopemba, Itaquera, Butantã e Vila Maria/Vila Guilherme.

“O orçamento da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social  é R$ 1,3 bi. E isso mostra a quantidade de pessoas que de alguma forma passam e são cuidadas pelo trabalho dessa Secretaria. É uma secretaria que distribui 1 milhão de refeições por dia na cidade e a gente não conseguiria fazer isso se não fosse a parceria com as entidades”, explicou o prefeito.

“A prefeitura gasta R$ 100 milhões só com capacitação profissional e o que a gente precisa é cada vez mais focar nisso para ajudar a população a conseguir vaga no mercado de trabalho. O emprego tem de ser visto como ferramenta de mudança na vida das pessoas. A assistência é para a emergência, que não dá pra esperar. Mas a grande saída para essa população é o emprego. E por isso investimos cada vez mais na geração de emprego e renda na cidade”, acrescentou.

“E esse trabalho está surtindo efeito. Neste ano, a cidade gerou 12 mil postos de trabalho. E a gente precisa de mais, em especial porque o índice de emprego é alto, ainda mais quando se mede esse índice na faixa dos jovens. Parabéns à entidade por ter feito essa alteração, tenho certeza que o trabalho a ser desenvolvido vai ser ainda melhor”, finalizou o prefeito.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!