Jornal São Paulo Zona Sul

Alta da conta de gás assusta consumidores

A indignação se espalha por toda a cidade, mas em bairros onde o gás encanado alcança mais residências, como Moema ou Vila Mariana, as reclamações não param. Clientes da rede afirmam que o preço da conta explodiu nos últimos meses, com dois reajustes sequenciais.

Muitos ainda garantem que não houve apenas aumento no valor da conta, com o mesmo consumo, mas também ampliação no total de metros cúbicos gastos no mês, que eles não reconhecem. Afirmam ter mantido o padrão de mesmo período do ano anterior, porém com significativo aumento registrado pela conta.Muitos consumidores já estudam retorno ao uso do botijão de gás tradicional – inclusive clientes não residenciais como restaurantes e bares.

O Procon se mobilizou e informa que explodiu o número de queixas contra a Comgás, única fornecedora de gás natural encanado no mercado.

O Procon indica, entretanto, que os reajustes foram legais (leia mais abaixo). “Nesse ano, foram aplicados o reajuste tarifário (que ocorre a cada cinco anos) e o ajuste anual, o que trouxe um impacto significativo na conta final. O preço do petróleo e a variação do câmbio contribuíram com a elevação da tarifa, que foi autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp)”, admite o órgão de defesa do consumidor.
Por outro lado, aponta que os reajustes são a principal causa de aumento das reclamações, que já atingem 521% a mais, em relação ao ano passado. De janeiro a setembro de 2018, foram 98 registros, já no mesmo período de 2019, foram 609.

O Procon-SP considera que a Comgás deve esclarecer o consumidor de forma mais efetiva e individualizada, para que o consumidor entenda o valor final de sua conta mensal. E ainda entende ainda que é dever da empresa analisar os casos de forma particular e, dependendo da situação, apresentar uma proposta de solução para que o orçamento da família não seja desestruturado levando a uma situação de endividamento.

Como a composição da tarifa de gás depende do segmento (comercial ou residencial), classe ou faixa de consumo (volume em metros cúbicos consumidos) entre outros fatores, não houve um percentual único de aumento para todos os consumidores.

LEIA TAMBÉM:
COMGÁS DIZ QUE AUMENTOS SÃO PREVISTOS EM LEI

A Comgás tem inúmeras obras em andamento em vários bairros da Zona Sul paulistana para ampliação da rede de fornecimento e, consequentemente, carteira de clientes, que também costuma gerar queixas de moradores. Segundo a empresa, a realização das obras é comunicada por meio de folhetos com 7 dias de antecedência.

1 comentário

  • Essas explicações não convencem .
    A verdade é que o aumento foi absurdamente abusivo e vai ficar por isso mesmo .
    Até o procon está falando que o aumento está dentro da lei …
    Então não temos mais pra quem apelar … É pagar ou voltar para o gás de botijão …
    PROCON ?????
    Pra quê ?????

    Mas quero deixar registrada a minha indignação ….

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!