Siga-nos

Saúde

Adolescentes já recebem segunda dose

Publicado

em

pfizer

Na capital paulista, os jovens com idade entre 18 e 20 anos, sem comorbidades e que não trabalham em áreas prioritárias como educação ou segurança, puderam começar a se vacinar contra Covid 19 entre 16 e 20 de agosto. Com a redução, no mês passado, do intervalo do imunizante Pfizer de 12 para 8 semanas, a maioria deles já recebeu a segunda dose, portanto, no início do mês de outubro.

Mas, aqueles que porventura demoraram mais a buscar a primeira dose já podem receber a segunda, já que o governo reduziu ainda mais esse intervalo – para 21 dias, ou seja, três semanas. Essa nova regra, entretanto, não vale para os adolescentes com idade entre 12 e 17 anos. Ainda assim, pelo calendário no Estado, esse público já começa a receber o reforço na próxima semana, quando se completam oito semanas da data em que foram liberados para receber a primeira dose – entre 30 de agosto e 12 de setembro.

Os adolescentes que se imunizaram na data correta, portanto, podem tomar o reforço entre 25/10 e 07/11, sempre contando oito semanas a partir da data em que recebeu a primeira dose.

Cobertura avançada

Segundo a Prefeitura, a cidade de São Paulo alcançou 90,1% da população adulta com o esquema vacinal antiCovid completo, com as duas doses ou dose única.  São quase dez milhões de pessoas acima dos 18 anos de idade vacinadas com a primeira dose (D1), e praticamente oito milhões com esquema vacinal já completo.

No total, o município já contabiliza 19.460.593 doses aplicadas.

Reforço

A SMS deu início, no mês de setembro, à aplicação de uma dose adicional para idosos, adultos com alto grau de imunossupressão e profissionais de saúde. O reforço vacinal a esses públicos segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e já registra 595.725 doses aplicadas.

Além disso, 850.969 adolescentes de 12 a 17 anos, o que corresponde a 100,8% da população estimada para essa faixa etária, já receberam a primeira dose do imunizante.

“A preocupação da prefeitura, dentro da disponibilidade de doses, era vacinar o mais rapidamente possível toda a população. Por isso, foram estruturados 600 postos, garantindo o acesso ao imunizante, e assim, conter a doença na cidade, preservando vidas”, afirma o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

A administração municipal construiu uma ampla rede de pontos de vacinação com locais de fácil acesso, como os postos volantes em estações de trem, metrô e terminais de ônibus. Os megapostos e drive-thrus foram organizados com um padrão de segurança, principalmente, para facilitar o fluxo de atendimento contando com equipes fixas. Esse modelo foi replicado em vários municípios. Os profissionais destes espaços e farmácias parceiras foram contratados de maneira emergencial para auxiliar na campanha.

A Secretaria Municipal da Saúde reforça que, mesmo com o avanço da vacinação e a queda no número de casos, óbitos e internações por Covid-19, é importante que todos os protocolos de biossegurança sejam respeitados, para garantir a saúde e a proteção de todos. É fundamental que as pessoas mantenham o distanciamento social, evitando aglomerações, usem máscaras e adotem medidas de higiene pessoal, como lavar frequentemente as mãos e usar álcool em gel.

Onde se vacinar

A lista completa de postos pode ser encontrada na página Vacina Sampa: prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/doencas_e_agravo/coronavirus/index.php?p=307599

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados