Jornal São Paulo Zona Sul

Zoneamento da Indianópolis é destaque em audiência

A audiência pública sobre a revisão da Lei de Zoneamento — Projeto de Lei (PL)272/2015, que trata da Revisão Participativa da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo-, que discutiu as mudanças pertinentes ao perímetro da subprefeitura da Vila Mariana apresentou divergência dos moradores com relação ao futuro da avenida Indianópolis, uma das mais conhecidas da região.
A revisão da Lei que está sendo debatida pela Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente aponta que a via, localizada no Planalto Paulista, será uma ZCOR 2 (Zona Corredor), ou seja, com permissão para diversificação de usos, de forma compatível à área residencial. Alguns munícipes são contrários à determinação e reivindicam que ali seja uma ZER (Zona Exclusivamente Residencial).
Monise Neves defende a ZCOR 2 no local, inclusive, segundo ela, para ajudar no combate à prostituição, uma das principais reclamações de quem lá reside. De acordo com a moradora, a instalação de comércios na região vai revitalizar e atrair novos moradores.
“É uma avenida bastante abandonada e degradada. Eu tenho três imóveis e eles estão alugados, mas eu não acho bom o local estar do jeito que está, a casa dos meus pais estar do jeito está. Hoje em dia a realidade da Indianópolis é que 33% dos imóveis tem placa de ‘vende-se ou aluga-se’ e sete quarteirões tem 50% de imóveis nestas condições”, argumentou, destacando que no final da avenida, onde o zoneamento é menos restritivo, apenas 10% das casas estão desocupadas.
Por outro lado, Antônio José Braz, presidente da Sociedade Amigos do Planalto Paulista, defende que a avenida permaneça com uso predominantemente residencial. “Hoje nessa avenida é permitido apenas serviços, os comércios que existem hoje são todos irregulares, ou seja, no primeiro momento nós estamos dando anistia para estes comércios, e no segundo momento, esses estabelecimentos servirão a outras pessoas e não aos moradores, porque lá já tem o comércio local desejado, que já atende perfeitamente”, rebateu.
O relator do PL, vereador Paulo Frange (PTB), entende que a avenida Indianópolis tem um problema de ‘degradação’ que afasta novos moradores e condiciona o local a uma situação de desertificação. “O comércio que está aberto lá hoje ou é banco ou é alguma clinica, rede hospitalar, laboratórios, o resto está degradando. Precisamos repensar o que fazer com a Indianópolis”, disse.
Já o vereador José Police Neto (PSD) foi mais enfático com a relação a situação da avenida. “É óbvio que a Indianópolis não pode ficar do jeito que está, mas não é para o bem do proprietário individualmente, é também para ele, mas é, sobretudo, para o bem da cidade”, ponderou.
O vereador Souza Santos (PSD) também esteve presente na audiência. Texto: Roberto Vieira da redação da  Câmara Municipal SP

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!