Jornal São Paulo Zona Sul

Zona Sul ainda não registra mortes pela febre amarela

Oito moradores de São Paulo contraíram a febre amarela no próprio município e quatro deles morreram vítimas da doença. Todos os casos foram registrados na Zona Norte da cidade, próximo ao Horto Florestal e outros parques que já haviam sido fechados pelo registro de casos da doença em macacos.

Na Zona Sul da cidade, ainda não foram registrados casos confirmados, mas vale destacar que o Parque do Estado – incluindo Jardim Botânico e Zoológico – também já confirmaram a contaminação pelos mosquitos silvestres em macacos. Além disso, já houve um caso na  vizinha cidade de São Bernardo do Campo.

Segundo dados da SMS, foram confirmados 125 casos de morte de primatas não-humanos causadas pela febre amarela no município desde 2017. Na zona norte foram 104, na zona sul outros 19.

O país todo sofre, aliás, com o crescimento da doença.   Nos dois primeiros meses, já foram confirmados, entre 1º de julho de 2017 e 6 de março de 2018, 846 casos da doença no país, que resultaram em 260 mortes.

Por outro lado, caiu o movimento nos postos de saúde – que nos primeiros dias da campanha de vacinação registravam filas de até 12 horas de pessoas em busca da imunização. E o número de doses aplicadas é inferior ao esperado pelas autoridades de saúde.

Mas, os números mostram medo deve ser da doença e não da vacina. Essa semana, foram incluídos os distritos de Itaim Bibi e do Morumbi, localizados na zona oeste de São Paulo, na segunda fase da campanha de vacinação contra a febre amarela, após a confirmação da morte de primatas não-humanos (epizootia) causada pela doença nos distritos de Santo Amaro e Campo Grande.

Lolapalooza

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo recomenda para quem vai curtir o Festival Lollapalooza, nos dias 23, 24 e 25 de março, tomar a vacina contra a febre amarela com, no mínimo, 10 dias de antecedência. O evento acontecerá no Autódromo de Interlagos, em Cidade Dutra, um dos 24 distritos com recomendação para a imunização contra a doença e que, por isso, integra a segunda fase da campanha de vacinação contra a febre amarela no município.

A orientação aos moradores da capital que ainda não foram imunizados e que pretendem ir ao festival é procurar uma unidade de referência para viajante ou um dos postos que esteja participando da atual fase da campanha. É importante lembrar que 10 dias é o tempo mínimo para que a vacina faça efeito.

Para receber a dose na capital paulista, é importante apresentar a pulseira ou o comprovante de compra de acesso ao festival na unidade de saúde bem como o cartão SUS, além de comprovante de identidade. A lista das unidades que estão vacinando pode ser acessada neste link

Até o momento, mais de 4,8 milhões de pessoas já foram vacinadas na capital paulista e a SMS anunciou na semana passada a prorrogação da segunda fase até 16 de fevereiro. Foram vacinadas nesta etapa 2.268.967  pessoas até quarta-feira (7). A pasta também aplicou 1.910.695 doses nos quatro meses da primeira fase da campanha.

Levantamento da Coordenadoria de Vigilância em Saúde indica que outras 640.911 pessoas receberam a dose da vacina em postos de saúde do viajante. Assim, a cobertura atual da cidade de São Paulo é de 40,6% da população.

A Secretaria ressalta que a ação preventiva em São Paulo tem acontecido por fases, sempre priorizando as áreas de maior risco de contato com a doença.

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!