Jornal São Paulo Zona Sul

Vereadores debatem zoneamento da Vila Mariana na segunda, 14/09

Na rua em que você pretende abrir um restaurante ou barzinho com música ao vivo, é permitido este tipo de atividade? E ao lado da sua casa, pode ser aberta uma oficina? Hotéis e motéis podem funcionar em que vias da zona sul da capital? É a Lei de Zoneamento que traz as respostas para estas perguntas. Agora, a lei está em processo de revisão na cidade e as regrais atuais podem ser modificadas. Mas, a população pode participar deste processo, protestar, reivindicar.
Um dos momentos para atuar e debater a nova legislação para a região acontece na semana que vem. Na segunda, dia 14, será realizada a audiência pública promovida pelos Câmara Municipal para debater as alterações de todos os bairros dos distritos Vila Mariana, Saúde e Jabaquara.
A reunião vai começar às 19h e será promovida no Centro Universitário Belas Artes, na Rua Dr. Álvaro Alvin, 76, na Vila Mariana. Qualquer interessado pode participar.
Já foram realizadas audiências públicas pelo poder executivo e agora é o legislativo que vem promovendo uma série de encontros com a população – um em cada uma das 32 subprefeituras da cidade e outros temáticos.
O Projeto de revisão da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo já foi apresentado pelo prefeito aos vereadores, mas os parlamentares podem fazer alterações. Por isso o debate com a população é importante.
“A mobilização é fundamental para garantir as conquistas já alcançadas e lutar contra a liberalização dos usos já previstos neste projeto de lei, geradores de mais transtornos ao nosso bairro na Avenida Indianópolis, e nas demais avenidas que circundam o bairro”, opina Antonio José Braz, integrante da Sociedade Amigos do Planalto Paulista.
O bairro, que faz parte da Subprefeitura de Vila Mariana, tem características estritamente residenciais e horizontais, ou seja, ali só podem ser construídas casas e sobrados e o uso comercial é extremamente limitado – apenas algumas atividades são permitidas e nas principais avenidas do bairro.
“Alterações permitirão a instalação de restaurantes, lojas de varejo, shoppings, hotéis, casas de lanches, bares, casas de show, Drive-in, motéis e sex shops, nos entornos do nosso bairro, diretamente em contato com as áreas estritamente residenciais e consequentemente dando novo estímulo ao exercício da prostituição de rua e aumentando o incomodo noturno em nosso bairro”, preocupa-se o morador, que busca mobilizar o maior número possível de moradores para participar do encontro com os vereadores.
Para a Prefeitura, a revisão dessa legislação tem como principal desafio justamente encontrar o equilíbrio entre moradias com as diversas atividades comerciais, proporcionando qualidade de vida. “O foco deste projeto é o conforto do cidadão, com regras claras, transparentes, desburocratizadas. O objetivo é fazer um uso inteligente da cidade, permitindo a regularização dos pequenos comércios e serviços”, avalia o prefeito Fernando Haddad.

 

Sociedade Amigos quer preservar o Planalto Paulista

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!