Começa nesta segunda-feira (23) a campanha de vacinação contra a gripe no município de São Paulo. A dose estará disponível em todos os postos de saúde da capital aos chamados grupos prioritários, que são aqueles com maior possibilidade de desenvolver quadros mais graves das doenças respiratórias. A meta da campanha deste ano é vacinar 2.395.236 pessoas.

Leia também: corrente de WhatsApp sobre vírus H2N3 é falsa!

Nesta primeira fase, a vacina será aplicada nos profissionais de saúde, nos indígenas e nas pessoas com 60 anos e mais de idade.

Somente a partir de 2 de maio serão incluídas as crianças entre 6 meses e menores de 5 anos de idade, as gestantes e as puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto).

Em 9 de maio será a vez dos portadores de doenças crônicas (cardiopatias, diabetes, HIV positivo e imunodeprimidos) e outras comorbidades, além de professores.

Nos casos dos profissionais de saúde e educação, é preciso apresentar holerite ou crachá para receber a vacina. Portadores de doenças crônicas e outras comorbidades devem levar a receita da medicação que faz uso com data dos últimos seis meses.

 Dia D

O dia de mobilização nacional para vacinação de Influenza será em 12 de maio, com encerramento da campanha previsto para 1º de junho. Seguindo a recomendação da Organização Municipal da Saúde (OMS), a vacina é a trivalente e protege contra três subtipos do vírus da gripe: H1N1, H3N2 e Influenza B.

“A campanha acontece anualmente devido à duração da proteção ser de aproximadamente um ano, pois depende de alguns fatores como idade e do sistema imunológico de cada um, e também para a atualização da vacina de acordo com os vírus de maior circulação no território. O benefício da vacina é proteger das complicações que podem acontecer por consequência da gripe, como pneumonias, e evitar internações e, em casos mais graves, óbito”, explica a gerente do Programa Municipal de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Maria Lígia Nerger.

A dose é contraindicada para pessoas que já tiveram alergia grave em doses anteriores ou a algum componente da vacina. Pessoas com febre alta também devem procurar orientação médica antes de se vacinar.

Da Prefeitura de SP 

Compartilhe:

Comente essa matéria: