Jornal São Paulo Zona Sul

Unifesp promove colóquio para refletir sobre Ditadura Militar

A ditadura deixou histórias tristes no país, inclusive com reflexos na região. Perseguição a professores da Escola Paulista de Medicina (atual Unifesp/EPM) e torturas, assassinatos e prisões arbitrárias nas celas do Doi Codi, na Vila Mariana (veja também matéria à página 5, ao lado). Toda esta história poderá ser relembrada e debatida nos próximos dias, quando se completam 50 anos do Golpe Militar.
Na Unifesp, a Comissão da Verdade Marcos Lindenberg promove, entre os dias 1 e 4 de abril, o colóquio “Verdade, Memória e Justiça – 50 anos do Golpe”. A proposta das atividades é incentivar a comunidade acadêmica na reflexão sobre verdade, justiça, direitos humanos e suas violações, além de aprofundar o debate sobre a experiência de resistência às Ditaduras na América Latina em seus diferentes registros e contribuir para o debate que sugere a revisão da Lei da Anistia no Brasil. A programação será realizada nos campi Vila Clementino e Guarulhos.
A reitora da Unifesp, Soraya Smaili, estará presente na abertura do evento, no dia 1 de abril na Vila Clementino, acompanhada de Estela de Carlotto, fundadora da associação Abuelas de Plaza de Mayo, e de Paulo Arantes, professor de filosofia da USP.
Durante a programação na Vila Clementino, haverá mesas de debate sobre “Ditaduras no Cone-Sul”, “Comissões da Verdade no Estado de São Paulo”, “Luta Armada e Resistências” e “Sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos: responsabilizações”. Em Guarulhos as temáticas dos debates serão “O Golpe civil-militar brasileiro e o que ainda resta dele”, “Ditadura: O que lembrar? O que esquecer?” e “Conflitos Sociais e Repressão”.
A programação completa pode ser conferida através do link http://www.unifesp.br/arquivos/docs/programacao_unifesp_cvml-2.pdf ou veja síntese no quadro ao lado, que traz a programação do campus de São Paulo, na Vila Clementino. A Unifesp também integra o Ato Unificado Ditadura Nunca Mais (veja também na página 5).
A coordenação das mesas de debates ficará por conta dos docentes da Unifesp Mariana Villaça, Ana Nemi, Javier Amadeo, Edson Teles, Bruno Comparato, Janes Jorge, Lucília Siqueira e Graciela Foglia.
Dentre os convidados para participar dos debates estão Mariana Joffily da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Denise Rollemberg da Universidade Federal Fluminense (UFF), Lucileide Cardoso da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Pedro Fagundes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Marcos Santana da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Antonio Rodrigues Espinosa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Adriano Diogo, Deputado Estadual, Beatriz Affonso do Centro por Lá Justicia y el Derecho Internacional (Cejil), Fábio Comparato, professor emérito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FD/Usp), Rodrigo Medina Zagni da Unifesp, Aurélio Vannucchi do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (Faculdade Getúlio Vargas – RJ), Edson Teles da Unifesp, Deborah Regina Leal Neves da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico – UPPH), Joana Monteleone da Unifesp, Larissa Mies Bombardi da Usp e Glenda Mezarobba da Comissão Nacional da Verdade (CNV).
Também estarão presentes alguns representantes de diversas comissões da verdade de São Paulo: Maria Lygia Q. de Moraes (Unicamp), Rosalina Santacruz (Puc-SP), Janice Theodoro (Usp), Ivan Seixas (Alesp), Gilberto Natalini (Câmara Municipal), Angélica Lovatto (Unesp).

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!