Barulho, sujeira e despejo irregular de entulho, menos verde e muito, muito mais trânsito. Desde que o São Paulo Expo passou por obras de ampliação, moradores de bairros vizinhos têm enfrentado diversos transtornos.

Todos eles vieram à tona na noite de segunda, 18, durante uma reunião do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) do Jabaquara.

Presente ao encontro, a Prefeita Regional do Jabaquara, Fátima Marques, garantiu que tem encontro agendado tanto com representantes do próprio São Paulo Expo, quanto com técnicos da Prefeitura para discutir o problema.

A obra viária no entorno do São Paulo foi executada pelo próprio empreendimento. A legislação municipal exige que grandes empreendimentos se responsabilizem e custeiem toda a sinalização viária e obras para minimizar o impacto que surgem com o aumento de fluxo – é o chamado “Polo Gerador de Tráfego”.

No entanto, cabe aos órgãos da Prefeitura – no caso a Companhia de Engenharia de Tráfego (sinalização) e Secretaria de Infraestrutura Urbana (SIURB/SPObras) a autorização do projeto e fiscalização de sua execução.

Os moradores se queixaram da sinalização frágil e incompleta, de duas alças que estão fechadas, do alto preço cobrado pelo estacionamento particular do empreendimento que, embora disponha de 5500 vagas, afasta clientes que buscam estacionar nas ruas do entorno.

Houve também queixas com relação à dificuldade dos motoristas em acessar a Rodovia dos Imigrantes sentido capital, em dias de evento. Com um acesso direto interditado, sobre o viaduto Matheus Torloni, os motoristas são obrigados a entrar na rotatória já interna ao São Paulo Expo – o que atrapalha e intensifica o trânsito até mesmo para quem se interessa em entrar no estacionamento particular.

Vizinhos também fizeram fortes críticas quanto ao barulho em eventos que acontecem nas madrugadas, como formaturas e um treinamento de manobras por motoristas da Polícia Militar. O comandante presente à reunião garantiu que foi evento isolado e que não voltará a ser promovido.

O jornal São Paulo Zona Sul está cobrando posicionamento do São Paulo Expo e também da Prefeitura, por meio de demandas enviadas à CET, SPObras, Siurb e Psiu. Confiram as explicações em nossa próxima edição, que será veiculada sexta-feira, 22/09.

Compartilhe:

1 Comentário

  1. Sou morador da região, diretamente afetado pelo trânsito caótico causado pelo péssimo planejamento dos envolvidos e descaso. Gostaria de saber porque duas alças de acesso a Rodovia Imigrantes estão há aproximadamente um ano fechadas, inclusive em dias de eventos. Se tudo foi fiscalizado pela CET e SIURB/SPObras, porque não são rígidos em exigir a regulamentação imediata? Não seria o caso de multar? Ou interditar o local de eventos?

Comente essa matéria: