Jornal São Paulo Zona Sul

O que você queria (e precisa!) saber sobre o golpe de 1964

O QUE VOCÊ QUERIA ( E PRECISA ! ) SABER SOBRE O GOLPE DE 1964
Uma coisa que acreditamos que deva ser esclarecido é o fato da ditadura que se instaurou em 1964, que sempre foi chamada de ditadura militar, acrescentaríamos aí além do militar, também o civil.
Segundo o brilhante historiador Daniel Aarão Reis, professor da UFF (Universidade Federal Fluminense), afirma que “lideranças da elite, eclesiásticas, empresariais e políticas, ficaram ao lado dos militares. O golpe foi dado por uma frente muito heterogênea” (ver Folha de São Paulo, 29/03/14, pg. A12).
Isso fica claro ao vermos a convocação de grupos sociais na conhecida “Marcha da Família com Deus pela Liberdade, no dia 01/04/1964, no Rio de Janeiro”, tais como o Apostolado da Oração, a Assembléia de Deus, a Associação das antigas alunas do Sacre- Coeur de Jesus, a Cruz Vermelha Brasileira, a Frente de Renovação Política Feminina, o grupo de Ex-Combatentes da F.E.B, os Círculos Operários Católicos, o Movimento de Reafirmação Democrática Brasileira, a União Cívica de São Paulo, a Confederação Católica Arquidiocesano do Rio de Janeiro ( com todas as suas Associadas e Obras), entre outros.
Interessante observar que as elites civis e eclesiásticas justificavam o golpe como defesa da democracia e o fim da inflação e da corrupção. No entanto, para envolverem as classes populares alegavam outrossim, que o golpe se dera em repúdio ao comunismo que, segundo sua imaginação, estava prestes a ser implantado no pais, o que até hoje a história não comprova.
Outro ponto a ressaltar na reflexão sobre o golpe é esclarecer o papel da mídia na época que, na sua maioria, aprovou veementemente o golpe .
A então TV Globo, na década de 70, com a era das comunicações por satélite ganhou uma rede de TV hegemônica que unia os lares de Norte a Sul, chegou a explicitar seu apoio à ditadura civil militar que a fez, recentemente, fazer um mea culpa .
O curioso é que , após o AI- 5 (Ato Institucional nº 5 ), e sobre o qual refletiremos em artigo próximo, uma parte da imprensa se torna alvo da ditadura e irá sofrer ampla censura em jornais e revistas, particularmente em alguns deles como o jornal “ O Estadão ”, em cujos trechos das reportagens eram colocadas as famosas receitas de bolo.
Estas colocações querem contribuir para esclarecer tão importante, marcante e decisivo momento da nossa história para que nossos filhos, netos e bisnetos, possam se ver livres para sempre do fantasma de uma ditadura civil-militar, que assombrou mortalmente tantos brasileiros .
Os 50 anos deste evento nos oferecem a oportunidade de lembrarmos, de entendermos melhor aquele acontecimento já que pelo Brasil inteiro estão acontecendo debates, exposições, discussões além de podemos acompanhar nos jornais, revistas e programas de TV uma série de reportagens, artigos, entrevistas que podem nos ajudar a refletir melhor sobre este importante evento de nossa história recente e para que conversemos com as futuras gerações, para defender a democracia sempre para que a ditadura nunca mais volte a se implantar no País.
* Armindo Boll Morador do distrito da Saúde, Historiador e Filósofo

 

Pesquisas da época indicam que Jango seria reeleito, nas eleições de 1965, pela população, mas foi deposto por um golpe que levou o país a uma ditadura por 21 anos

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!