No final de janeiro, foi inaugurada a Estação Higienópolis-Mackenzie, que integra a Linha 4-Amarela do Metrô. Inicialmente, a estação vai operar em caráter assistido, de segunda a domingo, de 10h às 15h. Desde 3 de fevereiro, como as demais estações da linha, passou a funcionar de domingo à sexta-feira, das 4h40 às 0h, e aos sábados, das 4h40 à 1h.

Já a estação Eucaliptos, da Linha 5 – Lilás, que estava prevista para ser inaugurada em janeiro, atrasou novamente. O cronograma de inaugurações da linha que liga Santo Amaro à Vila Mariana já foi alterado diversas vezes e o último anúncio oficial foi no final de novembro passado, quando o governo admitia que não inauguraria as estações em dezembro, conforme previsto, mas só no primeiro semestre de 2018, começando pela Eucaliptos em janeiro, AACD, Hospital São Paulo e Moema em fevereiro,  e abril, para as duas integrações Santa Cruz (que representa a conexão com a Linha 1 – Azul) e Chácara Klabin (interligada à Linha 2, Verde).

O jornal São Paulo Zona Sul procurou o metrô para informar os motivos do atraso ou novo cronograma, mas não obteve resposta. Em sua página do Facebook, a Companhia do Metropolitano agora informa aos usuários que as estações da linha 5 serão entregues “gradativamente no primeiro semestre de 2018”, mantendo a previsão de inaugurar estação Campo Belo para o final do ano.

De acordo com o site BuzzFeed, Alckmin teria culpado a iniciativa privada pelos atrasos, dizendo que “tem muita empresa que quebra contratos”.

Concessão

Por outro lado, nos últimos dias, a Linha 5 também foi notícia por conta do leilão que definiu a concessão da operação pela iniciativa privada. A Linha 17 – Ouro, monotrilho que ligará o Aeroporto de Congonhas ao Morumbi e, futuramente, talvez também ao Jabaquara, estava igualmente no pacote da licitação.

O Consórcio Via Mobilidade, composto pelas empresas CCR S.A. e RuasInvest Participações S.A., venceu a licitação, ao oferecer outorga fixa de R$ 553,8 milhões. De acordo com o governo do Estado, o valor representa ágio de 185% sobre o valor mínimo atualizado de R$ 194,3 milhões, conforme definido no edital. O leilão foi realizado na sexta passada, 19.

“As concessões fazem parte de uma reforma do Estado, que passa a ter o papel de regulador e fiscalizador, delegando à parceria com a iniciativa privada a execução dos serviços. Com o resultado de hoje, esperamos ganho de eficiência, de produtividade e qualidade no atendimento à população”, afirmou Alckmin na ocasião.

Compartilhe:

Comente essa matéria:

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!