Jornal São Paulo Zona Sul

Nova gestão no Centro de Atenção Integrada em Saúde Mental na Vila Mariana é alvo de críticas

O portal UOL publicou, essa semana, uma matéria apontando diversos problemas no processo de transição na administração do Centro de Atenção Integrada de Saúde Mental, na Vila Mariana. O CAISM era administrado, até fevereiro, pela Santa Casa de Misericórdia que, alegando dívidas e alto valor, devolveu a unidade à Secretaria de Estado da Saúde.

Desde 1 de março, a unidade passou a ser gerenciada de forma tripartite pela própria secretaria, Unifesp e a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. De acordo com a reportagem, que ouviu pacientes, o atendimento deixou de ser feito com a mesma frequência e qualidade, chegando a insinuar uma tentativa de suicídio que teria sido motivada pela falta de consultas.

A matéria ainda cita problemas trabalhistas com a demissão de médicos e outros profissionais, com acordos feitos de forma a prejudicar os funcionários. Ainda de acordo com o portal, foi feita uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho, que abriu Ação Civil Pública para apurar responsabilidades. A procuradora regional do trabalho, na ação, avalia que “está plenamente comprovada a fraude”.

Unifesp

A Unifesp divulgou texto, após publicação da matéria do portal UOL, em que afirma que o objetivo, em longo prazo, é o de tornar o CAISM/Unifesp um Centro de Excelência em Saúde Mental, com assistência de qualidade, integrada à Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), do Ministério da Saúde, assim como o desenvolvimento de pesquisa a partir dos projetos convergentes da Universidade. Os usuários são encaminhados por meio de marcação prévia da consulta, utilizando-se a Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (sistema CROSS).

Marcelo Feijó de Mello, docente do Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) e coordenador do CAISM/Unifesp, explica que alguns setores do centro, como o pronto-socorro, foram reformados, visando à melhoria no atendimento. Além disso, os profissionais da saúde passam por constantes processos de capacitação. Houve também uma mudança de conduta em relação ao cuidado com os pacientes. “Atuamos com atendimento multidisciplinar, buscando proporcionar a cada indivíduo o tratamento adequado para o seu caso”. A consequência disso é a redução no tempo de internação dos pacientes.

O CAISM/Unifesp realiza, mensalmente, cerca de 900 consultas no pronto-socorro, 2.500 nos ambulatórios e 44 no hospital-dia. A taxa de ocupação dos leitos é de 85%, e o tempo de permanência médio na internação é de cerca de 30 dias. “Os ambulatórios do Hospital São Paulo passaram para o CAISM/Unifesp nas últimas semanas e a tendência é a de que esses números aumentem nos próximos meses”, completa o docente.

O endereço do CAISM é Rua Major Maragliano, 241 – Vila Mariana. O telefone é o (11) 3466-2170  (24h).

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!