Jornal São Paulo Zona Sul

Jardim Botânico distribuiu livro para celebrar 90 anos

É um dos lugares mais bonitos da cidade de São Paulo e, mesmo assim, ainda é desconhecido por muitos dos que vivem aqui. Há até moradores de bairros próximos como Jardim da Saúde, Jabaquara, Vila Mariana e Ipiranga  que nunca foram ao Jardim Botânico – e olha que ele é uma das reservas ecológicas e pontos turísticos oficiais mais antigos da cidade: está celebrando 90 anos!

Quem ainda não conhece precisa marcar uma trilha, uma visita, um piquenique. Vale lembrar que não é um parque para bolas, animais de estimação, bicicletas, patins e afins. É uma área verde de contemplação e contato com a natureza.

Histórico

No fim do século XIX, a área do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga era uma região vasta com mata nativa, ocupada por sítios e chácaras. Por ordem governamental, as desapropriações na região ocorriam desde 1893, de modo a recuperar a floresta, usar os recursos hídricos e preservar as nascentes do Riacho do Ipiranga.

Em 1917, o local se tornou propriedade do governo, passando a se denominar Parque do Estado. Até 1928, o espaço serviu para captação da água que abastecia o bairro do Ipiranga. No mesmo ano, o naturalista Frederico Carlos Hoehne foi convidado para implantar ali um Jardim Botânico.

O Jardim Botânico foi oficializado em 1938, bem como a criação do Departamento de Botânica. Em 1969, a área passou a denominar-se Parque Estadual das Fontes do Ipiranga.

Livro e exposição

“Reciclagem da arte: cultura e natureza em movimento”, o novo livro da Muller Cultural reúne imagens do trabalho de 25 artistas que utilizam materiais reciclados ou reaproveitados para compor obras de arte que, especialmente, redefinem o valor do que antes seria lixo, ou material de descarte.

O lançamento do projeto, que envolve: um livro, uma exposição fotográfica e um aplicativo de realidade aumentada aconteceu no sábado, 10, no Jardim Botânico de São Paulo, em comemoração aos 90 anos do parque – com a presença da Família Muller. Os visitantes que foram ao lançamento oficial ganharam um exemplar do livro. Quem perdeu, ainda pode conferir o ensaio fotográfico ficará exposto aos frequentadores por 20 dias.

A novidade deste projeto é que os leitores e visitantes poderão interagir com o livro e a exposição fotográfica por meio de um aplicativo de Realidade Aumentada, que integra informações virtuais com as do mundo real. A interatividade é realizada através do aplicativo RA, disponível gratuitamente para Android e IOS.

O Jardim Botânico de São Paulo fica na Av. Miguel Stéfano, nº 3687 – Água Funda. Ingresso: R$ 5. Estudantes e idosos acima de 60 anos pagam R$ 2,50. Crianças até quatro anos e portadores de necessidades especiais são isentos.

 

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!