Jornal São Paulo Zona Sul

Estação AACD Servidor abre no último dia de agosto

Finalmente, abre as portas nessa sexta, 31 de agosto, a estação AACD/Servidor do metrô, parte da expansão da Linha 5 – Lilás. Essa é uma das paradas que vêm sendo prometidas desde o ano passado e têm tido sucessivos adiamentos na entrega.

O último anúncio dava conta de que quatro estações seriam entregues em agostos – além da AACD/Servidor, também Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin, as duas últimas interligando a linha 5 com as linhas 1 (Azul) e 2 (Verde), que é a etapa mais esperada da expansão.  Entretanto, o metrô adiou mais uma vez e agora a promessa é de que as demais paradas serão abertas em setembro.

Ao mesmo tempo, a estação Moema, que estava em operação assistida com entrada gratuita desde abril, passa a atender o público em horário integral e com cobrança de passagem. A AACD/Servidor terá seu horário de abertura reduzido – das 9h às 15h, mas diferente do que o metrô defende, não em operação gratuita assistida – já haverá cobranças.

Apesar de sua importância, facilitando o acesso ao Hospital do Servidor Público e à AACD, instituição que atende pessoas com deficiência, a nova parada ainda terá uso restrito justamente por conta da falta de conexão com o restante da malha metroviária. O acesso será facilitado apenas a quem mora no extremo sul da capital Paulista, incluindo Capão Redondo, Santo Amaro e Brooklin, além de outras pessoas que quiserem acessar a linha pela conexão com o ramal Esmeralda – 9 – da CPTM.

A estimativa é de que a AACD-Servidor atenda cerca de 22 mil pessoas diariamente. A estação ficaq na rua Pedro de Toledo, entre as avenidas Ibirapuera e Professor Ascendino Reis, tem 25 metros de profundidade, 24.343 metros quadrados e é composta por dois acessos, duas plataformas laterais, 12 escadas rolantes, seis elevadores, além de um estacionamento com dois pavimentos.

A estação também é a mais próxima ao Ibirapuera, a cerca de um quilômetro das entradas do parque. Bem próximo a ela estão ainda o Parque das Bicicletas e o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa.

A ampliação da Linha 5-Lilás foi concebida com novo conceito arquitetônico para as estações de Metrô, privilegiando a sustentabilidade e a integração da paisagem externa com os ambientes internos. Para isso, a Companhia utilizou elementos modernos, como vidros e claraboias, para levar mais conforto para os usuários e funcionários, valorizando a luz natural, o que também reduz o consumo de energia.

Quando o restante da linha for entregue, a estimativa é de que serão transportadas cerca de 800 mil pessoas por dia. Denominada como linha da saúde, ela proporcionará ainda o acesso a importantes complexos hospitalares ao longo dos seus 20 quilômetros de extensão. A estação Campo Belo, no meio da linha, está prometida para dezembro desse ano – se não houver novos atrasos…

Vale ainda destacar que as estações estão sendo entregues não finalizadas, sem as portas de segurança nas plataformas.

A Linha 5 terá integrações com as linhas 1-Azul (na estação Santa Cruz) e 2-Verde (na Chácara Klabin) e vai oferecer aos usuários novas opções de transferências dentro do sistema, o que resultará na redistribuição da demanda de viagens. Além disso, a Linha 5 também terá integração com a futura Linha 17-Ouro, que também está com obras atrasadas, na estação Campo Belo.

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!