As verbas do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, previstas para obras de drenagem na cidade de São Paulo em 2014 serão finalmente liberadas. Pelo menos foi o que anunciaram, conjuntamente, a Prefeitura e o Ministério das Cidades.  A não liberação das verbas impediu o início das obras planejadas para o Córrego Ipiranga.

Serão R$ 750 milhões para obras de contenção de encostas, obras de drenagem e também construção de novas moradias.

Será autorizado o início da execução de Contrato de Repasse vinculado ao PAC Encostas, com a liberação de R$ 74 milhões de recursos federais para execução de obra de correção de riscos em 15 áreas da capital, entre elas o Córrego Ipiranga.

Apesar de não indicar precisamente uma data, a Prefeitura garante que terão início as obras de drenagem e de saneamento integrado no córregos Ipiranga para resolver problemas recorrentes de enchentes.

As obras no córrego Ipiranga contemplam a execução de canalização de três quilômetros , com implantação de dois reservatórios de amortecimento de cheias, com capacidade total de armazenamento de 330.000 m³, e sistemas de galerias pluviais da Lagoa Aliperti até a Avenida Bosque da Saúde. A Prefeitura estima que 50 mil famílias sejam beneficiadas com as melhorias.

Audiência

A liberação dos recursos já havia sido antecipada em reunião na Distrital Ipiranga da Associação Comercial, em julho. Promovido pelo líder do governo na Câmara, o vereador Aurelio Nomuma (PSDB), o encontro reuniu o o secretário municipal de Serviços e Obras, Marcos Penido e o Prefeito Regional do Ipiranga, Amandio Martins.

Na ocasião, Penido previu que as obras devem começar ainda em agosto e deve durar pouco mais de dois anos, com término no primeiro semestre de 2020. “Será uma obra longa, com um tráfego intenso de caminhões e máquinas, por isso viemos apresentar o projeto, conversar com os moradores e pedir paciência pois o resultado final valerá muito a pena”, esclareceu Penido.

Ainda de acordo com o secretário, o projeto contempla a área verde. “Estamos trabalhando com um projeto onde a área urbana é muito grande e temos um córrego confinado. Nesta situação não temos espaço para a implantação de um parque linear, pois não existe a possibilidade de diminuir uma pista da Ricardo Jafet, mas garanto que existe um projeto de paisagismo com uma solução muito interessante”, explicou.

O vereador Aurélio Nomura lembrou que a primeira obra feita no Córrego do Ipiranga foi em 1986 e a partir daí já foram 12 obras para tentar solucionar o problema. “Já foram gastos mais de R$170 milhões, mas com falta de planejamento e obras emergenciais sem projeto realizadas pelas gestões anteriores o problema não foi resolvido”, comemorou Nomura.

Leia mais sobre o projeto definido para o Córrego Ipiranga

Veja também um vídeo sobre o tema.

Compartilhe:

Comente essa matéria: