Jornal São Paulo Zona Sul

Celebrando 25 anos de lançamento, compositor e tecladista Corciolli relança álbum de estreia em formato digital

O compositor e tecladista Corciolli continua as comemorações de seus 25 anos de carreira recém completados com o relançamento digital de seu primeiro álbum, “Tudo Que Nos Une”. O disco chega a todas as plataformas digitais no dia 18 de outubro exatamente duas décadas e meia da data do lançamento original.

OUÇA AQUI TUDO QUE NOS UNE NO LINK:
bit.ly/tudo-que-nos-une

“Tudo Que Nos Une” chega ao século 21 após bem sucedida série de concertos comemorativos que o artista realizou pelo Estado de São Paulo. Essa que foi a primeira fase da nova turnê de Corciolli, concluída com memorável apresentação no Auditório Ibirapuera, que contou com a participação de músicos da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e do cantor Andre Matos (Shaman e ex-Angra e Viper), em setembro.

O álbum, originalmente lançado em 1993 em CD, mídia novidade na época, agora chega em versão digital remasterizada especialmente para as plataformas de música convidando uma nova geração de ouvintes para o trabalho singular do artista que equilibra como poucos o uso dos sintetizadores eletrônicos com instrumentos acústicos.

O estilo de música instrumental de Corciolli – envolvente e rica em detalhes – apresenta o mesmo frescor e inventividade presente em sua criação comprovando a atemporalidade do trabalho do compositor.

Corciolli atribui ao engenheiro de masterização, amigo e parceiro profissional de longa data, Carlos Freitas, a ideia de relançar o álbum. Freitas que é considerado um dos maiores engenheiros de masterização da América Latina, tendo no currículo trabalhos para artistas como João Gilberto, Mutantes, Ed Motta e Djavan, fez o minucioso trabalho de ouvir os áudios originais e reprocessar cada um dos takes das músicas para que pudesse escolher junto a Corciolli as melhores versões para “Tudo Que Nos Une” em 2018.

“Localizei os tapes e lá estavam várias versões das nove músicas que fizeram parte do álbum original. E para nossa surpresa, com um som cristalino e impecavelmente gravado e mixado. Foi emocionante ouvir as músicas novamente, em especial os takes de piano acústico da faixa “Cantareira”, uma das minhas primeiras composições e uma das que tem maior significado emocional também”, conta Corciolli.

Essa não é a primeira vez que “Tudo Que Nos Une” ganha versão especial. Em 1996, uma nova versão foi lançada, rebatizada em inglês como “All That Binds Us” com áudio remasterizado e novo projeto gráfico incluindo a faixa bônus “The Pearl” já que na época Corciolli começou a despontar internacionalmente com sua música.

Depois do áudio, foi a vez de buscar as fotos originais da época em pastas e arquivos esquecidos no tempo. O negativo do filme foi localizado e a foto original usada na capa foi digitalizada e inserida no atual projeto que também incorporou referências gráficas da versão de 1996. “Tudo que nos une, mesmo!”, diz Corciolli.

Mais sobre Corciolli

Aclamado pelo público e crítica, Corciolli, 50, conquistou notáveis feitos: 33 álbuns lançados em 25 anos de carreira; mais de 2 milhões de CDs vendidos; participações em trilhas sonoras e coletâneas ao lado de artistas como Hans Zimmer, Vangelis, Enigma, The Alan Parsons Project, Sarah Brightman e Luciano Pavarotti; produção musical de diversos artistas e coordenação de
centenas de projetos incluindo duas coleções de CDs para a revista Caras que totalizaram 12 milhões de álbuns comercializados em bancas de jornais de
todo o Brasil.

Sua música vem obtendo amplo reconhecimento, em especial nos Estados Unidos, onde possui cerca de 600 mil ouvintes na maior e mais prestigiada rádio de internet, a Pandora. Em anos recentes, vem se dedicando à composição de trilhas sonoras para cinema, incorporando a linguagem dos sintetizadores às sonoridades acústicas e orquestrais.

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!