Jornal São Paulo Zona Sul

Casa do Sítio da Ressaca precisa de restauro

Uma inscrição na porta de entrada da Casa do Sítio da Ressaca, exemplar bandeirista tomado como patrimônio histórico no Jabaquara, indica sua data provável de construção: 1719. Prestes a completar 300 anos, portanto, a casa bandeirista de pau a pique foi descoberta em um passeio feito pelo modernista Mário de Andrade em 1937, quando o escritor ocupada o cargo de Secretário Municipal de Cultura.

Depois disso, o imóvel tornou-se alvo de vários estudos de historiadores, foi tombado como património histórico e serviu de base para atrair a construção do Centro Cultural do Jabaquara.

Hoje, a casa integra um conjunto de espaços públicos municipais que celebra a cultura afrobrasileira na cidade. Depois de várias mudanças administrativas ao longo dos anos, o Sítio da Ressaca faz parte complexo cultural composto pela biblioteca Paulo Duarte e pelo Centro de Culturas Negras do Jabaquara – Mãe Sylvia de Oxalá.

Mas, a situação atual do imóvel está deixando preocupados os apaixonados por história e preservação arquitetônica paulista.

“Um monumento da história de São Paulo tão importante e exemplar raro das construções coloniais não pode ficar abandonado a espera do seu fim”, diz a arquiteta Tel Rohwedder. Ela conta que vem acompanhando a situação há alguns meses, com preocupação. A casa está sustentada por escoras de madeira para não ruir de vez, tem enormes rachaduras por todos os lados e com seu madeiramento (original) de canela preta está bastante comprometido por cupins.

Outra preocupação da vizinhança é com a programação cultural. Há tempos não há uma epxosição específica na Casa do Sítio da Ressaca.

O Centro de Culturas Negras e a Biblioteca Paulo Duarte contam com eventos, palestras, cursos e outras atividades, especialmente com foco na temática da cultura negra, mas também de outros programas que circulam espaços culturais da cidade.

A casa integra também um circuito municipal de espaços históricos preservados, chamado “Museu da Cidade”. O site do projeto está fora do ar.

Procurada, a Secretaria Municipal de Cultura afirmou que há um projeto técnico para reformar o espaço. Não informou, entretanto, quando a reforma teria início.

Por outro lado, a SMC garante que não há riscos para os visitantes.

Com relação à programação cultural, a Secretaia diz que, como a casa histórica integra um complexo cultural, que inclui a biblioteca Paulo Duarte e o Centro de Culturas Negras do Jabaquara – Mãe Sylvia de Oxalá, a programação desses espaços está regular e pode ser consultada em www.cultura.prefeitura.sp.gov.br

Também não foi explicado por que o site do Museu da Cidade está fora do ar.

O primeiro restauro da Casa Sítio da Ressaca foi há 40 anos, em 1978, e aberta ao público em 1979. Em 1986, sofreu um pequeno incêndio. Depois, passou por quatro novos pequenos restauros, o último deles em 2002.

Comentar

Teste

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!