O Aeroporto de Congonhas deve mudar de nome. Se houver sanção presidencial a um projeto de lei aprovado pela Câmara e pelo Senado, passará a ser o Aeroporto Deputado Freitas Nobre.  A proposta, de autoria do ex-deputado João Bittar, data de 2012, mas só agora foi aprovada pelo Senado.

Cearense, o ex-deputado José Freitas Nobre era, além de político, jornalista, advogado, professor e escritor. Ficou notoriamente conhecido por sua luta pela redemocratização do país. Foi vice-prefeito de São Paulo e, vítima de perseguição política no período pós-1964, exilou-se na França.

Retornou ao Brasil em 1967, voltou à vida pública, onde conquistou seis mandatos consecutivos de deputado federal. Sua atuação política foi dedicada, em especial, à luta pela anistia e pelo movimento “Diretas Já”. Freitas Nobre faleceu em São Paulo em 1990.

Embora muita gente não saiba, mas também o Aeroporto Internacional de Cumbica – Guarulhos também leva nome de um político: Aeroporto Internacional André Franco Montoro, em homenagem ao ex-governador paulista.

Congonhas

Em abril, o Aeroporto de Congonhas chegou aos seus 81 anos. A origem da palavra “Congonhas” é incerta, porque há versões de que uma planta de mesmo nome, comum na região, teria inspirado a denominação. Mas, especula-se também que teria sido em homenagem ao Visconde de Congonhas do Campo, Lucas Antônio Monteiro de Barros, primeiro governante da Província de São Paulo após a Independência do Brasil.

O Aeroporto foi construído em região desabitada na década de 1930, em estrada que ligava as províncias de São Paulo e Santo Amaro, até então município independente vizinho. Em 1935, a escolha da área teria sido o principal motivo político para que Santo Amaro fosse anexada a São Paulo, garantindo que o aeroporto ficasse em território paulistano.

Em 1986, deixou de receber voos comerciais internacionais, por conta da construção do aeroporto internacional em Guarulhos.

Ainda assim, pouco tempo depois, na década de 1990, Congonhas se tornaria o aeroporto mais movimentado do país. Dois acidentes graves – um em 1996 e outro em 2007 – fizeram com que o movimento fosse novamente reduzido.

Mas, atualmente, Congonhas volta a ter circulação recorde. Em 2016, recebeu em média 582 movimentações diárias, entre pousos e decolagens, e mais de 20,7 milhões de passageiros, interligando São Paulo a 35 localidades.

Não só o prédio principal, de arquitetura Art Deco, é tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo – Conpresp. Elementos internos são igualmente preservados: mobiliário; elementos de composição arquitetônica  tais como revestimentos, portas, forros; obras artísticas e até um hangar fazem parte do processo de tombamento. O chão quadriculado em preto e branco, o terraço, o salão de festas constituem imagens que habitam a memória do paulistano.

O Aeroporto continua passando por obras de ampliação e modernização, com novos estacionamentos, praça e passarela sobre a Avenida Washington Luiz.

imagem_materia (1)

Compartilhe:

Comente essa matéria: